PDT de Caxias tenta estancar críticas sobre eventual acerto com PP  - Colunas da seção Mirante - Política: deputados, prefeitos e mais - Pioneiro
 
 

Mirante28/07/2020 | 08h50Atualizada em 28/07/2020 | 08h50

PDT de Caxias tenta estancar críticas sobre eventual acerto com PP 

Partidos podem coligar na eleição para prefeitura

PDT de Caxias tenta estancar críticas sobre eventual acerto com PP  Marcelo Vanzin/Divulgação
Encontro no início de março deste ano reuniu dirigentes do PDT e do PP Foto: Marcelo Vanzin / Divulgação

O presidente do PDT de Caxias do Sul, Maurício Flores, se apressou em emitir um posicionamento, diante de eventuais críticas de filiados em relação a uma eventual aliança com o Progressistas (PP) nas eleições municipais. Na segunda-feira (27), o Pioneiro divulgou que, em meio aos vários contatos de partidos com o PP, a informação nos bastidores é de que a pré-candidatura de Edson Néspolo (PDT) a prefeito agrada ao comando progressista. O PP deseja indicar o nome a vice.

Flores enviou nota dizendo que o partido quer formar uma coligação ampla e que se o PDT toma a iniciativa de conversar com determinada sigla, é porque enxerga "entusiasmo de mudança". 

Leia mais
PP de Caxias deve definir rumo na eleição até a próxima semana

"No momento que vivem não somente Caxias do Sul, mas o Brasil e a própria democracia, é preciso que tenhamos coesão e equilíbrio. O PDT busca agora dialogar com todos aqueles que querem de fato construir uma nova Caxias do Sul. Se o partido toma por iniciativa conversar com determinada sigla, é porque enxerga nela o entusiasmo de mudança. Queremos formar uma coligação ampla, e que tenha por objetivo buscar as soluções que a cidade precisa. Em relação a manifestações isoladas de filiados do PDT, a resposta é de que, assim como os filiados têm conhecimento, existem trâmites internos para resolver esses conflitos, através da participação partidária de todo diretório municipal", disse, em nota, o pedetista.

Ele não cita o PP, mas, questionado se a manifestação era por causa das conversas com esta sigla, respondeu: 

– Sim, estou defendendo o diálogo com o PP, assim como sempre defendi com o PSB.

Sobre o PDT estar rumando para a direita, disse:

"Não temos posição clara e queremos dialogar com todos aqueles que pensam na cidade".

Contatos

O PDT também busca aproximação com o PSB. O presidente socialista, Adriano Boff, porém, disse que torce por um acerto entre MDB e PDT. Na Câmara, foi formado o Bloco Social Trabalhista com os vereadores do PDT e PSB, mas naufragou com as divergências dos vereadores Rafael Bueno (PDT) e Wagner Petrini (PSB).

– Defendo o diálogo sempre. Acho que tanto o PSB como o PP são bons partidos e com ótimos quadros – reagiu Flores.

O presidente do PDT já participou de encontro promovido pelo PT, em dezembro do ano passado, com o tema  "A Cidade que Queremos".

Em 2 de março deste ano, houve encontro do PDT na sede do Progressistas (foto) para analisar uma futura coligação dos partidos na chapa majoritária. Na ocasião, pelo PDT, estavam Pedro Incerti e Alfredo Paim, da executiva municipal, e pelo PP, entre outros integrantes, o presidente Ricardo Golin.  

"Aliança espúria"

De fato, uma possível formação de chapa à prefeitura de Caxias com PDT e PP já despertou reação contrária. O suplente de vereador pelo PDT, Miguel Grazziotin, foi quem se posicionou, bombardeando:

– Não há a menor possibilidade que a base pedetista, brizolista, apoie uma aliança espúria com um partido que apoiou a ditadura e apoia Bolsonaro. E afirmo: se vingar, será um fracasso. A base não vota nem faz campanha, e do outro lado os direitosos farão o mesmo. Em 1986, tentaram isto numa chapa Aldo Pinto/Nelson Marchezan e foi um fracasso. Mas, como tem gente no PDT com laços sanguíneos com o PP...

Leia também
Parlamentares tentam derrubar no STF decreto do distanciamento controlado no Estado
Governador diz que tem apenas sintomas leves da covid-19

 
 
 
 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros