A causa de Paula Ioris, a segunda vereadora mais votada em Caxias - Política - Pioneiro

Nova Câmara04/10/2016 | 07h32Atualizada em 04/10/2016 | 11h23

A causa de Paula Ioris, a segunda vereadora mais votada em Caxias

O assassinato do filho, Germano aos 13 anos aproximou a segunda vereadora mais votada em Caxias da política

A causa de Paula Ioris, a segunda vereadora mais votada em Caxias Marcelo Casagrande/Agencia RBS
Tucana recebeu 5.823 votos no domingo Foto: Marcelo Casagrande / Agencia RBS

A conquista de uma cadeira na Câmara de Vereadores para Paula Ioris, 54 anos, tem um causa – a segurança – e um nome – Germano, o filho dela assassinado em janeiro de 2012. Filiada ao PSDB há três anos, Paula foi a segunda vereadora mais votada nessa eleição com 5.823 votos. Natural de Caxias do Sul e moradora do bairro Cruzeiro, vai trabalhar para aumentar o orçamento para a segurança pública, fortalecer a autonomia da mulher e trabalhar a gestão do serviço público.

Leia mais
"O que passou, passou", diz prefeito de Caxias sobre embate com PT
Edson Néspolo pretende comparar trajetórias no segundo turno
Daniel Guerra quer mostrar a trajetória no segundo turno
Horário eleitoral em rádio e tevê em Caxias do Sul começa dia 11 
Três prefeitos eleitos na Serra dependem de decisão judicial para assumir cargo
Candidatos a prefeito de Caxias têm limite de R$ 344 mil no segundo turno 

– Eu sobrevivi primeiro por fé em Deus e por sublimação, como a gente chama na psicologia. Coloco muita energia nessa luta. A gente não supera, não esquece, a gente transforma. Eu me emociono muito ainda em falar no Germano. O que é mais difícil é ver os amigos e o tamanho que ele poderia ter – diz emocionada.

A vereadora mulher mais votada é casada há 30 anos com o advogado Rogério Alves de Oliveira, 58, e mãe de Guilherme, 22, e de Germano. Graduada em Psicologia pela UCS e com pós-graduação em gestão empresarial, trabalhou por 30 anos na iniciativa privada. Nos últimos seis, foi diretora do Hospital do Círculo.

A política entrou na vida de Paula a convite da diretoria da ONG Brasil Sem Grades. Os integrantes a convidaram para concorrer a uma vaga na Câmara dos Deputados, a fim de defender a redução da maioridade penal.

– Recebi o convite e aceitei o desafio como uma forma de sublimar a dor.

Sem experiência política, Paula realizou o planejamento da campanha da mesma maneira como fazia no hospital. Em 2014, na sua estreia em eleições, conquistou 21.329 votos.

– Na noite da apuração, fiquei frustrada porque me comparei a outros que não tinham propostas e fizeram 35 mil votos. Não me dei conta de que estava sendo lançada e não era conhecida. Na segunda-feira, meu telefone não parou de tocar. Recebi ligações de políticos que não conhecia me cumprimentando pelo resultado. A ficha caiu que tinha sido um bom resultado.

Mesmo com a expressiva votação para deputada federal, Paula pensou se afastar um pouco da política e retornar ao mercado de trabalho, mas o sucesso nas urnas a impediu. Ela conta que recebeu convites para mudar de partido.

– Na política, voto é liderança, e fiquei sendo a liderança em Caxias e na região. O PP me convidou mais de uma vez, o PTB e o próprio Guerra (Daniel, candidato a prefeito). Eu não queria porque não acho legal. Foi esse partido (o PSDB) que me acolheu. Decidi não trocar de partido, mesmo correndo o risco de não me eleger.

Prioridade para a cidade

Paula vai levar para dentro da Câmara a experiência da iniciativa privada. Ela reconhece a falta de traquejo político, mas ressalva seu conhecimento de gestão e diz que pretende trabalhar com as prioridades para a cidade, e não nos pequenos serviços.

– Meu sonho é que a Câmara trabalhe como se trabalha em uma empresa Temos que fortalecer os pontos fortes e amenizar os fracos. Tem que ver o que é prioridade para a cidade, como a gente faz em nossa empresa e na nossa casa. Não podemos ficar de briguinha partidária. São projetos de cidade e não de bairro, não é (construção de)quebra-mola e (troca) de lâmpada, critica.

Trabalhadores da saúde, familiares de vítimas de violência, eleitores da campanha para deputada federal, amigos e colegas de trabalho formam a maioria dos eleitores da vereadora eleita.

– Temos um mapa de onde se concentram os meus eleitores. Os votos (de domingo) não são o resultado da campanha de 40 dias. Foram construídos intensamente nos últimos quatro anos.

Segundo Paula, os caxienses estão esperando uma qualificação do Legislativo e, de uma maneira geral, o papel dos vereadores está desqualificado, no seu entendimento. Ela ressalta a importância do Poder Legislativo para formar lideranças para o Estado e o país.

QUEM É

Bandeiras

- Mais verba para a segurança pública. Instalar mais câmeras de segurança na cidade.
- Na gestão pública, defende meritocracia para os servidores públicos e um planejamento de longo prazo para o município.
- Fortalecer a autonomia e autoestima da mulher.

Trajetória

-Graduada em psicóloga com 30 anos de trabalho na iniciativa privada.
- Em 2014, concorreu a deputada federal com 21.329 votos.
- No dia 2 de outubro Vereadora eleita com 5.823 votos.

 
 

Siga o Pioneiro no Twitter

  • pioneiroonline

    pioneiroonline

    Pioneiro.comApós repercussão, organizadores desistem de pancadaria no Dia do Soco, em Caxias https://t.co/8UtQmQG3SB #pioneirohá 2 horas Retweet
  • pioneiroonline

    pioneiroonline

    Pioneiro.comPioneiro Esportes https://t.co/u511DH3PIJ #pioneirohá 4 horas Retweet

Veja também

Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros