Joalheiro morto em latrocínio também se dedicava a criar aves no interior de Caxias - Polícia - Pioneiro

Vers?o mobile

 
 

Latrocínio06/08/2018 | 11h58Atualizada em 06/08/2018 | 13h22

Joalheiro morto em latrocínio também se dedicava a criar aves no interior de Caxias

O sepultamento está marcado para a manhã de terça-feira

Por muitos anos, Silvio Mondin Neto, 57 anos, atuou como joalheiro para lojas do ramo em Caxias do Sul. Nos últimos tempos, dedicava-se a criar aves ornamentais em um viveiro na localidade de Linha São Paulo, distrito de Santa Lúcia do Piaí, local onde foi encontrado morto na tarde de domingo. 

O corpo foi localizado com dezenas de facadas a poucos metros da propriedade. Quatro pessoas foram presas suspeitas de terem praticado o crime, incluindo a atual companheira. As prisões ocorreram entre a noite de domingo e a manhã de segunda-feira.

— Era uma ótima pessoa. Um alto profissional, que trabalhou comigo lealmente por muitos anos — lamenta um amigo que preferiu não se identificar.

— Ele era um admirador das aves. Era uma pessoa muito gente fina — relata outro amigo.

Leia também
Quatro são presos por suspeita de latrocínio em Caxias do Sul
Companheira de joalheiro morto em Caxias é presa por suspeita de envolvimento no crime

A paixão pelos animais era descrita por Silvio em um blog pessoal dedicado ao viveiro:

"Tenho admiração e carinho pelos animais desde as primeiras lembranças da minha infância, onde minha família sempre nos proporcionou o convívio com estes seres maravilhosos e a natureza! Desde muito jovem, o meu interesse pelas espécies animais foi muito intenso, seus comportamentos, suas fragilidades e as trocas afetivas me interessavam e despertavam para este incrível universo...", escreveu.

Silvio era filho do ex-vereador de Caxias do Sul Enrico Emilio Mondin (PRP). 

O velório ocorre na Capela C do Memorial São José. O sepultamento está marcado para as 9h de terça-feira no Cemitério da Sociedade do Bairro santa Catarina.



 
 
 
 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros