Recuperados do coronavírus são convidados a doar plasma no Hemocentro de Caxias - Geral - Pioneiro

Versão mobile

 
 

Solidariedade17/06/2020 | 15h21Atualizada em 17/06/2020 | 15h21

Recuperados do coronavírus são convidados a doar plasma no Hemocentro de Caxias

Tratamento é aposta de médicos para melhora clínica de pacientes graves

Recuperados do coronavírus são convidados a doar plasma no Hemocentro de Caxias Andréia Copini/SMS/Divulgação
Foto: Andréia Copini / SMS/Divulgação

Homens de 18 a 60 anos que passaram pelas complicações da covid-19 e estão recuperados estão convidados a doar plasma no Hemocentro Regional de Caxias do Sul (Hemocs). O gesto de solidariedade poderá fazer com que infectados pela doença com sintomas graves possam apresentar melhora no quadro clínico. 

Até o último dia 12, o Hemocs recebeu 36 ligações de candidatos, mas havia efetivado apenas quatro doações. O motivo é que, após o primeiro contato, os técnicos ainda realizam entrevista para terem certeza da qualidade do sangue. Alguns candidatos ainda estão sendo chamados, mas outros acabam não se encaixando nos requisitos. Uma das exigências é estar recuperado há mais de 28 dias e sem sintomas. A Secretaria Municipal da Saúde (SMS) compila os dados mais atualizados sobre a quantidade de coletas já feitas e pretende divulgar nos próximos dias.

Para que o plasma do sangue seja aproveitado, também é preciso ocorrer compatibilidade com o doente. Desde que houve o primeiro procedimento, em 26 de maio, a procura pelo método experimental aumentou em Caxias. O Hospital Virvi Ramos, que tem o protocolo autorizado para uso do tratamento em pacientes com coronavírus, já realizou cinco transfusões.

 —  A doação de plasma é um pouco diferente porque depois da entrevista com o candidato é feita a coleta de uma amostra para, se qualificada, aí sim ocorrer a doação de fato. Levando em consideração a doação mais comum de sangue, esta é mais demorada. Uma doação de sangue pode levar 45 minutos desde a entrada do voluntário. A de plasma pode chegar a duas horas  —  explica a diretora dos serviços especializados da SMS, Cristina Lisot.

O plasma convalescente consiste em repassar os anticorpos do paciente recuperado para o paciente doente. Apesar de ser experimental, o tratamento traz esperança e Caxias do Sul, por sua vez, é pioneira no procedimento no Rio Grande do Sul. A primeira transfusão foi de Tarcísio Giongo, 63 anos. O garibaldense deixou a UTI após receber o plasma. Agora, outros quatro pacientes que passaram pela transfusão são monitorados no Virvi Ramos.

O Hemocs já recebeu doações de recuperados da covid de cidades como Boa Vista do Sul, Passo Fundo, Lajeado, Paraí, Rio dos Índios, além de municípios da Serra, mas o serviço ainda precisa de muitos voluntários.

SEJA UM DOADOR DE PLASMA

:: Os interessados em doar plasma podem agendar atendimento pelos telefones (54) 3290-4543 e (54) 3290-4580 ou pelo WhatsApp (54) 98418-8487.  

:: São recebidos homens entre 18 e 60 anos, que tiveram a covd-19 confirmada por meio do teste PCR e que estão há mais de 28 dias recuperados. 

:: Nessa etapa da pesquisa, não são recebidas mulheres já que ainda não há certeza científica sobre possíveis complicações que podem ser relacionadas a períodos férteis e gravidez ao longo da vida.

Leia mais
Paciente que recebeu plasma em tratamento experimental para covid-19 terá alta da UTI, em Caxias
Hemocentro de Caxias recebe 36 candidatos para doação de plasma em tratamento experimental
"É a terapia de primeira escolha", diz pesquisador que doou plasma a paciente internado em Caxias


 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros