Lago da Represa São Pedro está repleto de plantas aquáticas em Caxias  - Geral - Pioneiro

Vers?o mobile

 
 

Meio Ambiente20/11/2019 | 09h00Atualizada em 20/11/2019 | 10h30

Lago da Represa São Pedro está repleto de plantas aquáticas em Caxias 

 Barragem do Complexo Dal Bó parece um imenso gramado

Lago da Represa São Pedro está repleto de plantas aquáticas em Caxias  Lucas Amorelli/Agencia RBS
Equipes de uma empresa terceirizada trabalham com uma escavadeira hidráulica para retirar plantas da represa São Pedro Foto: Lucas Amorelli / Agencia RBS

Quem passa pelo lago da represa São Pedro, no Complexo Dal Bó, no bairro Fátima, em Caxias do Sul, avista o que parece um imenso gramado. São plantas aquáticas que tomam praticamente toda a represa. As macrófitas (nome científico) podem surgir quando há excesso de matéria orgânica na água, ou seja, descarte de lixo, esgoto, insetos e animais em decomposição. A sujeira descartada nas ruas da cidade e no entorno da própria represa são carregadas pela chuva até as barragens e servem de alimento para a reprodução das plantas. 

De acordo com o Serviço Autônomo Municipal de Água e Esgoto (Samae), as macrófitas não são prejudiciais. No entanto, quando elas surgem em grande quantidade, como na represa São Pedro, é sinal que a lagoa está recebendo quantidade significativa de matéria orgânica originada de casas e indústrias. A reportagem percorreu o entorno da represa São Miguel até o encontro com a São Pedro e constatou acúmulo de lixo, como fraldas, papéis, garrafas pet, latas e sacolas plásticas, às margens da água. 

Leia mais
Falta de oxigênio na água é provável causa da morte de peixes em represa de Caxias 
Mais peixes são encontrados mortos em represa de Caxias 
Análise da água de represa onde peixes foram encontrados mortos em Caxias deve ficar pronta em 10 dias
Represa Dal Bó amanhece com peixes mortos em Caxias 
Represa São Paulo, em Caxias do Sul, está tomada por plantas aquáticas
Algas cobrem parte das barragens do Complexo Dal Bó, em Caxias do Sul

Em agosto deste ano, centenas de peixes morreram no lago da represa São Paulo, ao lado da São Pedro. O resultado da análise de amostras coletadas permite indicar que a provável causa é diminuição na concentração de oxigênio na água, em virtude da presença de plantas aquáticas na barragem. Equipes de uma empresa terceirizada trabalham com uma escavadeira hidráulica no local. As plantas são colocadas na beira da represa e depois em caminhões para serem levadas para fora da área de preservação. Elas serão usadas como adubo pelo Samae. 

Frequentador está preocupado com a preservação da represa 

O terapeuta Cristiano Sheyne Smiderle da Rosa, 43 anos, frequenta o Complexo Dal Bó para praticar yoga e meditação. Ele demostra preocupação com a conservação da represa:

 CAXIAS DO SUL, RS, BRASIL, 19/11/2019Morador reclama de poças d´água que formam criadouro para mosquistos, de árvores cortadas e do acúmulo de algas no complexo.(Lucas Amorelli/Agência RBS)
Frequentador do espaço teme a possível reprodução de mosquitos da dengue porque há poças no entorno da São Miguel Foto: Lucas Amorelli / Agencia RBS

—  Faço trilhas, medito e visito frequentemente a represa. É meu jardim, um lugar mágico, e a água que deveria ser límpida está tomada por um tapete verde. 

Ele também teme a possível reprodução de mosquitos da dengue porque há poças no entorno da represa São Miguel no caminho que leva até à São Pedro. 

—Porque não fazem valas para escoar a água e evitar o risco de propagar a dengue, questiona ele. 

Contraponto 

 CAXIAS DO SUL, RS, BRASIL, 18/11/2019Lago da represa do Complexo Dal Bó está repleto de algas em Caxias (Lucas Amorelli/Agência RBS)
Plantas aquáticas tomaram parte da represa São Pedro do Complexo Dal Bó Foto: Lucas Amorelli / Agencia RBS

De acordo com o Samae, a presença das plantas não altera a qualidade da água distribuída para a população. A equipe monitora o surgimento das macrófitas, e também há uma grade no vertedouro da represa São Pedro, evitando que as plantas cheguem em grande quantidade na represa São Miguel. É na São Miguel que é captada a água que abastece o centro da cidade e onde ocorrem os treinamentos do Programa Caxias Navegar da Secretaria de Esporte e Lazer (SMEL). 

Já a secretaria de Saúde não teve como acessar o sistema para conferir se há denúncia sobre possíveis focos de mosquito no entorno da represa ou se as equipes já estiveram no local para coletar água. O sistema da prefeitura estava fora do ar desde a última segunda-feira (18), mas assim que possível, a assessoria iria verificar o assunto. 

MACRÓFITAS 

A macrófita se prolifera em função da presença de nutrientes na água. Quando em grande quantidade, como na Represa São Pedro, indica que a represa está recebendo quantidade significativa de matéria orgânica originada de residências e indústrias, efeito do processo de urbanização em áreas de recarga do recurso hídrico, ou seja, na região da Bacia de Captação do Complexo Dal Bó. A época de maior proliferação é no início da primavera, quando as temperaturas são amenas.

 CAXIAS DO SUL, RS, BRASIL, 19/11/2019Morador reclama de poças d´água que formam criadouro para mosquistos, de árvores cortadas e do acúmulo de algas no complexo.(Lucas Amorelli/Agência RBS)
Quem passa pelo lago da represa São Pedro, no Complexo Dal Bó, no bairro Fátima, avista o que parece um imenso gramadoFoto: Lucas Amorelli / Agencia RBS

Porque o acúmulo

Há uma grade de contenção que visa impedir que as plantas evoluam para a represa São Miguel. O objetivo da contenção é evitar entupimentos das bombas de captação da água bruta, bem como facilitar o processo logístico de manejo das plantas (remoção até o nível de presença ideal no lago).

Função (pros e contras)

As macrófitas flutuantes não são plantas prejudiciais, inclusive são usadas em larga escala em processos de fitorremediação (plantas atuando como agentes de purificação da água, removendo nutrientes). Elas absorvem principalmente fósforo e nitrogênio presentes na água, reduzindo o risco de proliferação de algas. No entanto, caso entrem em processo de decomposição, podem prejudicar a qualidade da água. Nesse sentido, realizando o adequado manejo, as macrófitas melhoram a qualidade da água fornecida à população caxiense. Ressalta-se que as macrófitas não são algas, mas sim plantas aquáticas benéficas, que limpam a água em que vivem, por meio da absorção dos nutrientes.

Manejo

O manejo consiste na retirada das plantas flutuantes, como forma de reduzir a biomassa do lago e assim, utilizar os benefícios que as mesmas trazem a qualidade da água, que é retirar nutrientes da água. A previsão de conclusão é de 30 dias.

Abastecimento

O complexo Dal Bó é responsável pelo abastecimento de nove bairros de Caxias do Sul, o que equivale a 4% da população. Os bairros abastecidos são: Centro (parte), Jardim América (parte), Jardim Margarida (parte), Madureira, Marechal Floriano (parte), Pio X (parte), Primeiro de Maio, São José (parte) e Universitário. 

Leia também
Na Cozinha: saudade do café da tarde? Relembre os bons momentos com esse bolo
Polícia Federal cumpre mandados de prisão em Caxias e Bento para combater tráfico de cocaína para Europa
Propriedade rural de Caxias investe R$ 900 mil em energia solar

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros