"Ela estava feliz, se sentindo livre", relata irmã de mulher morta a tiros em Caxias do Sul - Geral - Pioneiro

Vers?o mobile

 
 

Luto11/11/2019 | 21h22Atualizada em 12/11/2019 | 19h16

"Ela estava feliz, se sentindo livre", relata irmã de mulher morta a tiros em Caxias do Sul

Ereni dos Santos, 42, foi assassinada após audiência com ex-companheiro, principal suspeito de ter cometido o crime

"Ela estava feliz, se sentindo livre", relata irmã de mulher morta a tiros em Caxias do Sul Divulgação / Arquivo pessoal/Arquivo pessoal
A funcionária pública Ereni dos Santos, 42, foi morta a tiros no bairro Desvio Rizzo, em Caxias do Sul Foto: Divulgação / Arquivo pessoal / Arquivo pessoal

A funcionária pública Ereni dos Santos, 42, foi morta a tiros no bairro Desvio Rizzo, em Caxias do Sul, logo após participar de uma audiência de conciliação, para acertar a divisão de bens, com o ex-companheiro, principal suspeito de ter cometido o crime.

Ela foi atingida por pelo menos cinco disparos de arma de fogo efetuados pelo motorista de uma caminhonete, que a fez parar o carro na Rua Avelino José Lora por volta das 13h de segunda-feira (11). O suspeito fugiu do local e a polícia ainda investiga a autoria do crime.

Leia mais
Identificada mulher morta a tiros em Caxias do Sul
Mulher é morta a tiros em Caxias do Sul e ex-companheiro é o principal suspeito

— Pela manhã, eles tiveram uma audiência de conciliação no Fórum. Ela me disse por mensagem que eles tinham se acertado e que estava tudo bem — relata a irmã de Ereni, Dioneia dos Santos, 35.

Segundo Dioneia, Ereni estava separada desde abril de 2018. Ela e o ex-marido ficaram juntos por 20 anos porém a agressividade constante por parte dele teria sido o motivo da separação.

— Ela me pediu ajuda pra sair de casa porque ele era muito agressivo e ameaçava ela de morte. Depois ele foi afastado do lar e ela pôde voltar pra casa. De vez em quando ele pegava as crianças, mas sempre ficava ameaçando ela.

Dioneia reforça que, na audiência, a irmã ficou apenas com o que lhe era de direito e estava feliz por ter encerrado esse capítulo de sua vida.

— Ela era uma mulher batalhadora, dona do próprio nariz, trabalhava, comprava suas coisas. Ela estava tão feliz, estava se sentindo livre. Foi uma tragédia terrível que acabou com a nossa família.

Ereni nasceu em Nonoai e cresceu em uma família de seis irmãos, na cidade de Santiago. Ela deixa os pais, irmãos além dos filhos: uma menina de 14 anos e um menino de 4.

Sepultamento

Ereni será velada a partir das 23h de segunda-feira, na Capela E do Memorial São José de Caxias do Sul. O sepultamento ocorre na terça-feira (12), às 16h, no Cemitério Santos Anjos.

Leia também
Homem morre em acidente na ERS-122, em Caxias

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros