A Capital fala com a Serra Gaúcha por telefone - Geral - Pioneiro

Versão mobile

 

Memória21/07/2016 | 06h58Atualizada em 21/07/2016 | 09h03

A Capital fala com a Serra Gaúcha por telefone

Em 7 de janeiro de 1932 ocorreu a primeira ligação telefônica entre Porto Alegre e a "zona colonial" de Caxias do Sul, Bento Gonçalves, Guaporé, São Sebastião do Caí e Veranópolis

A Capital fala com a Serra Gaúcha por telefone Acervo Companhia Telephonica Riograndense/divulgação
O momento da primeira ligação, em 1932, quando Carlos Dante Moraes (com o telefone) falou com o prefeito de Caxias Miguel Muratore Foto: Acervo Companhia Telephonica Riograndense / divulgação

Um simples telefonema que nos conecta a qualquer ponto do planeta hoje ganhou solenidade oficial em 7 de janeiro de 1932, às vésperas da segunda edição da Festa da Uva. Foi quando ocorreu a primeira ligação telefônica entre Porto Alegre e a "zona colonial" de Caxias do Sul, Bento Gonçalves, Guaporé, São Sebastião do Caí e Veranópolis – então denominada Alfredo Chaves.

Durante um ato solene em que o interventor federal no Rio Grande do Sul, Flores da Cunha, foi representado por Carlos Dante Moraes, a Companhia Telephonica Riograndense inaugurou a linha de longa distância entre a Capital e a Serra.

O primeiro contato telefônico oficial deu-se entre o representante do interventor (na foto acima, com o aparelho em mãos) e o coronel Miguel Muratore (prefeito entre 1930 e 1934), que estava em Caxias. A conexão entre Porto Alegre e a região serrana foi a segunda linha de longa distância no RS – a primeira ligava a Capital a Rio Grande, no sul do Estado, desde o ano anterior.

Na foto acima vemos o prefeito de Porto Alegre, Alberto Bins (último sentado, à direita) e o jornalista Archimedes Fortini ( de pé, de gravata estampada, ao centro), responsável por cobrir a solenidade. No detalhe abaixo, o documento de inauguração do circuito Porto Alegre-zona colonial, assinado por Flores da Cunha e Alberto Bins. Por fim, a Sala do Centro Telefônico de Porto Alegre em 1921. Todas as ligações eram executadas manualmente. Na época, a então Companhia Telephonica Riograndense contava com pouco mais de duas mil linhas.

Leia mais:
Pisando em uvas na Praça Dante Alighieri
O adeus ao ídolo do ciclismo Charles Lamb
A Adega Pezzi em 1933

O documento oficial de inauguração, assinado por Flores da Cunha e Alberto Bins em 7 de janeiro de 1932 Foto: Ver Descrição / Ver Descrição
A Sala do Centro Telefônico de Porto Alegre em 1921.  Foto: Ver Descrição / Ver Descrição

Parceria

Com informações do Projeto Memória das Telecomunicações e da coluna Almanaque Gaúcho, de Zero Hora.

Confira outras publicações da coluna Memória

Leia antigos conteúdos do blog Memória


 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros