"Estamos perplexos com o deboche do sindicato com a população", diz chefe de gabinete da prefeitura de Caxias - Cidades - Pioneiro

Greve no transporte público20/03/2017 | 11h02Atualizada em 20/03/2017 | 11h34

"Estamos perplexos com o deboche do sindicato com a população", diz chefe de gabinete da prefeitura de Caxias

Júlio César Freitas da Rosa ainda afirma que o poder público vai entrar com petição no TRT para aumentar o valor da multa por descumprimento de liminar

"Estamos perplexos com o deboche do sindicato com a população", diz chefe de gabinete da prefeitura de Caxias Roni Rigon/Agencia RBS
Júlio garante que o poder público não vai abrir mão de garantir os direitos da população Foto: Roni Rigon / Agencia RBS

A prefeitura de Caxias do Sul vai ingressar, ainda na manhã desta segunda-feira, com uma petição no Tribunal Regional do Trabalho (TRT) para aumentar o valor da multa aplicada ao Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários pelo descumprimento de liminar expedida ainda na sexta. O documento garante que, durante a greve que iniciou nesta segunda, pelo menos 70% do transporte coletivo urbano funcione em horários de pico (40% nos demais horários). Nenhum ônibus saiu das garagens da Visate durante a manhã desta segunda-feira.

Leia mais
Visate, de Caxias, vai se encontrar com sindicato dos rodoviários, mas reajuste no salário não é garantido
Procura por táxi e táxi-lotação é grande em Caxias do Sul 

A multa, se a liminar for descumprida, é de R$ 5 mil por dia e deve ser paga pelo sindicato. No início da manhã, durante assembleia, o presidente do sindicato, Tacimer da Silva, afirmou que "pagaria a multa do bolso e com a ajuda de amigos".

— Estamos perplexos com o deboche do sindicato com a população, com a prefeitura de Caxias e com o Judiciário. Gostaríamos muito de saber quem são esses amigos que ajudarão a pagar essa conta. Também estamos perplexos que, em nenhum momento, a empresa tentou minimizar os efeitos dessa greve. Não vimos motoristas reservas sendo chamados, nem um contato com a Brigada Militar, que seria de praxe nesses casos. Tudo está nos levando a crer que essa greve é uma ação conjunta entre a empresa e o sindicato. Ou existem forças obscuras por trás dessa paralisação — ataca Júlio César Freitas da Rosa, chefe de gabinete da prefeitura.

Visate, de Caxias, vai se encontrar com sindicato dos rodoviários, mas reajuste no salário não é garantido

Júlio garante que o poder público não vai abrir mão de garantir os direitos da população. Ele explica que a petição na Justiça pede "a majoração da multa pelo descumprimento da liminar", ou seja, o aumento do valor da penalidade. O montante é decidido pela Justiça e Júlio espera que a decisão saia ainda nesta segunda-feira.

— Solicitamos que esse valor seja muito elevado. A prefeitura vai buscar todos os recursos, não vamos medir esforços. Estamos cumprindo todas as etapas e chegaremos até as últimas consequências, se for preciso — avisa Júlio.

Foto: Roni Rigon / Agencia RBS

O chefe de gabinete não adianta a informação, mas não descarta o rompimento do contrato de concessão entre poder público e Visate.

Durante a manhã, o advogado do Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários de Caxias do Sul, João Batista Wolff afirmou que entrará com uma ação na Justiça para reverter o percentual exigido (70% em horários de pico e 40% nos demais horários) para a circulação dos ônibus. Tacimer, também pela manhã, afirmou que o "texto da liminar não deixa claro se são 70% dos funcionários que devem trabalhar ou 70% da frota rodar". Na decisão, o juiz determina que "a Visate mantenha números de trabalhadores suficiente para o funcionamento de 70% da frota de ônibus nos horários de pico (...)".

Para as 15h, uma mediação emergencial foi convocada pelo desembargador João Pedro Silvestrin, em Porto Alegre, com a presença da prefeitura, sindicato e Visate.


 
 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros