"O resultado não foi justo", avalia técnico do Ju sobre a derrota para o Brasil-Pel - Esportes - Pioneiro

Versão mobile

 
 

Série B10/10/2020 | 14h07Atualizada em 10/10/2020 | 14h10

"O resultado não foi justo", avalia técnico do Ju sobre a derrota para o Brasil-Pel

Segundo Pintado, o time produziu para conseguir reverter o resultado de 2 a 1

"O resultado não foi justo", avalia técnico do Ju sobre a derrota para o Brasil-Pel Porthus Junior/Agencia RBS
Foto: Porthus Junior / Agencia RBS

A derrota do Juventude para o Brasil-Pel, por 2 a 1, no Alfredo Jaconi não foi considerado um resultado justo pelo técnico alviverde. Para Pintado, o time produziu para conseguir a virada sobre o Xavante, mas não teve a efetividade necessária. Ainda assim, ele ressalta que o time não poderia ter dado a possibilidade ao rival de marcar dois gols em 15 minutos.

— Quero conversar com os atletas para saber o porquê de termos iniciado uma partida desconcentrada. Precisamos ter inteligência para tirar as lições importantes desse resultado ruim — ressaltou o treinador.

Leia mais
Dirigente do Juventude critica árbitro e admite desempenho abaixo do esperado da equipe
Galeria de fotos: confira as imagens de Juventude 1x2 Brasil-Pel

O time acabou falhando em dois lances pelo lado direito e ainda teve um pênalti duvidoso assinalado contra si, o que gerou o segundo gol Xavante. Pintado minimizou que ambos os tentos adversários tenham ocorrido no lado de Wellington Silva e afirmou que o lateral não teve peso sobre o placar final.

— O Wellington Silva é um jogador experiente e tem lutado pelo seu espaço. Acho que a atuação dele foi boa. Claro que o Igor está em grande fase, a intensidade é diferente. O que é marcado e de que os adversários estão fechando nossos espaços e vamos trabalhar para encontrar soluções. Mas no geral, o resultado não foi justo — ponderou Pintado.

Ainda assim, a atuação do segundo tempo foi muito melhor que dos primeiros 45 minutos. Com ingresso de Tarta no meio e Bochecha fazendo a distribuição de bola, o Ju infiltrou na defesa adversária e encontrou possibilidades para marcar. Só que ficam lições da partida.

— Quando essas equipes jogam fechadas não pode ser desculpa, porque treinamos. Sabíamos que o Brasil iria contra-atacar, jogar fechado e que tem um sistema defensivo forte. Só não poderíamos oferecer a possibilidade de saírem na frente, mas 15 minutos e 2 a 0 acaba sendo um jogo muito difícil. Como nós conseguimos em outras situações, hoje não foi possível — disse o comandante.

O Ju encara o Cruzeiro na próxima sexta-feira (16), no Mineirão. O treinador não terá o lateral Igor e o volante Marciel, que testaram positivo para Covid-19, o atacante Breno, expulso contra o Brasil-Pel, e o centroavante Gabriel Novaes, que pediu para deixar o clube.

Leia também
Rede de abastecimento de água de Caxias passará por inspeção para identificar vazamentos
Pela segunda vez, vândalos depredam banheiros da Praça da Matriz, em Farroupilha

 
 
 
 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros