Vindima impulsiona turismo na Serra gaúcha - Economia - Pioneiro

Vers?o mobile

 
 

Tempo de turistar13/01/2020 | 06h45

Vindima impulsiona turismo na Serra gaúcha

Período já é considerado média temporada no Vale dos Vinhedos

Vindima impulsiona turismo na Serra gaúcha Antonio Valiente/Agencia RBS
Foto: Antonio Valiente / Agencia RBS

Após meses de muito trabalho nos parreirais, é chegada a hora da colheita. Mas há alguns anos  a vindima na Serra Gaúcha deixou de ser apenas tempo de colher. Se transformou em tempo de mostrar ao mundo as belezas e tradições da região. Virou chance (de ouro) para atrair turistas curiosos não somente em provar uvas e vinhos, mas em viver as experiências que o período proporciona. 

No Vale dos Vinhedos, roteiro no encontro entre Bento Gonçalves, Garibaldi e Monte Belo do Sul, o período da vindima, precedido pelo final de ano, já é considerado média temporada, ficando atrás dos meses de inverno e de dezembro. Entre janeiro e março do ano passado, o Vale dos Vinhedos recebeu 89.522 visitantes; entre junho e agosto, 156.171. O número total de visitantes em 2019 ainda não está fechado, mas deve ficar em torno de 420 mil. 

— Só neste período tem a safra, o visitante conhece um processo que não tem no resto do ano — destaca Jones Valduga, presidente da Associação dos Produtores de Vinhos Finos do Vale dos Vinhedos (Aprovale). 

Além de se integrar ao processo da produção – as vinícolas oferecem a oportunidade de o visitante colher a uva –, o turista que não gosta de muita agitação encontra na Serra um ambiente diferente das praias, que costumam ficar lotadas nesta época do ano. 

— Nossos clientes comentam que não gostam de litoral e escolhem nossa região porque é mais tranquilo — conta Andréia Zucchi, diretora-executiva da Giordani Turismo, acrescentando que 70% dos turistas recebidos pela agência são do Estado. 

A movimentação nos municípios produtores de uva, aliás, já é percebida, embora a colheita se intensifique no final do mês. Em Bento, por exemplo, excursões e particulares chegam todos os dias nas vinícolas, principalmente nas do Vale dos Vinhedos. Conforme o secretário de Turismo da cidade, Rodrigo Parisotto, são esperados 300 mil visitantes entre janeiro e março. 

— Não tem mais como produzir qualquer coisa sem pensar no turismo. É muito legal que todo mundo está pensando de que forma pode usar o turismo. Hoje não existe mais só produtor de vinho — frisa Parisotto, destacando que o setor de serviços, que inclui o turismo, representa 37% da economia local. 

Os bons números dos últimos anos são fruto de um trabalho do poder público e da iniciativa privada que apostaram na vindima como "produto" turístico para impulsionar um período que tinha queda na presença de visitantes. Foram promovidos diferentes tipos de roteiros para atender a diferentes perfis de turistas. 

— Foi criado esse programa há cerca de quatro anos e a expectativa na vindima deste ano é de aumento de 20% a 30%. Os roteiros incluem experiências de um dia todo, de meio dia, experiências noturnas — explica Andréia Zucchi. 

Importante para os pequenos

Grandes vinícolas elevam de forma significativa o número de visitantes com a vindima. A Aurora, por exemplo, recebeu 202 mil visitantes em 2019. Desses, 40 mil foram entre janeiro e março (5 mil a mais do que em 2018). E as pequenas ganham uma vitrine importante neste período. 

— Há um número expressivo de vinícolas de pequeno porte com volume de receita "linkado" ao número de visitantes. Elas conquistam o cliente, fidelizam e esse cliente vai recomendar — diz Gilberto Durante, sócio da DSC Consultoria, empresa especializada em turismo e gastronomia. 

Segundo Durante, a produção e o turismo já não podem mais andar separados: 

— O turismo trouxe muitos benefícios para o vinho. É um casamento.

Negócios

A estimativa da Aprovale é que a vindima seja responsável por 10% do faturamento anual das empresas.

Roteiros

A Giordani Turismo atendeu em 2019 a aproximadamente 1 mil clientes com seus roteiros. 

 BENTO GONÇALVES, RS, BRASIL (07/01/2020)Vindima movimenta enoturismo no Vale dos Vinhedos. (Antonio Valiente/Agência RBS)
Foto: Antonio Valiente / Agencia RBS

VISITANTES NO VALE DOS VINHEDOS
2001:
45 mil
2002: 60 mil
2003: 82 mil
2004: 102 mil
2005: 115.737
2006: 105.617
2007: 120.962
2008: 153.779
2009: 182.229
2010: 200.508
2011: 228.579
2012: 248.548
2013: 283.631
2014: 294.966
2015: 397.529
2016: 410.149
2017: 415.957
2018: 405.505
2019 (janeiro a outubro): 365.953*

* O ano deve fechar com 420 mil visitantes.
Fonte: Aprovale

Caminhos de Pedra

O enoturismo não é o que mais chama a atenção no Caminhos de Pedra, mas também está presente no roteiro. São quatro vinícolas que oferecem atrações para os visitantes que buscam bons vinhos. 

— A vindima é um ponto forte do município e atrai visitantes para a região que, ao mesmo tempo, aproveitam a oportunidade para percorrer nossas rotas — destaca a presidente da Associação Roteiro Caminhos de Pedra, Maristela Lerin. 

Em 2019, o Caminhos de Pedra recebeu 117.524 visitantes. Na vindima, foram 26.052 visitantes. 

Leia também
Vinícola da Serra gaúcha leva consumidores para Curaçao 
Quem perde e ganha com 10 feriados ao longo do ano
Bento Gonçalves volta a figurar catálogo exclusivo da CVC

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros