Véra Stedile Zattera mostra novo livro, "Vestindo Moda" - Cultura e Tendência - Pioneiro

Versão mobile

 
 

Lançamento01/07/2020 | 17h42Atualizada em 01/07/2020 | 17h55

Véra Stedile Zattera mostra novo livro, "Vestindo Moda"

Pesquisa resgata um século de história

Véra Stedile Zattera mostra novo livro, "Vestindo Moda" Ana Salvi/Divulgação
Obra será distribuída gratuitamente em bibliotecas públicas e universitárias Foto: Ana Salvi / Divulgação

Hoje em dia, olhar para a roupa que vestimos e conseguir identificar qual a origem das inúmeras referências presentes nas peças é tarefa difícil. Isso porque as tendências vem e vão aos montes e de forma muito rápida. Mas e há 130 anos, como será que as informações de moda chegavam e eram absorvidas pelos habitantes da área urbana de Caxias? Essa é a investigação que a pesquisadora Véra Stedile Zattera conduz em sua mais recente obra, Vestindo Moda. O trabalho será distribuído gratuitamente em bibliotecas públicas e universitárias e ficará disponível para consulta no Arquivo Histórico Municipal João Spadari Adami.

Autora de mais de 20 livros nos quais analisa particularidades da história da indumentária, em Vestindo Moda Véra resgata o modo de vestir durante os primeiros 100 anos de Caxias do Sul (a cidade foi fundada em 1890). Conforme ela, a primeira grande referência de moda internacional é a trazida pela corte europeia. Algo que não mudou tanto, se pararmos para pensar na influência de personalidades como Kate Middleton, por exemplo.

– Em toda a história, sempre a corte europeia deu o norte de como deveríamos nos vestir. A corte brasileira também estava espelhada nesta moda europeia e, automaticamente, a população de posses aqui no Brasil se espelhava nessa corte brasileira. A ruptura dessa maneira de se vestir é a Primeira Guerra Mundial, que obriga a encurtar as saias por falta de condições de comprar tecido. Acontece então, a partir de 1910, essa preocupação de ter uma vestimenta mais singela, com menos adereços, menos elementos – pontua.

Véra Stedile Zattera lança livro ¿Vestindo Moda¿<!-- NICAID(14535142) -->
Livro traz inúmeras fotos e croquisFoto: Ana Salvi / Divulgação

Falando mais especificamente de Caxias do Sul, é a partir de 1940 que ocorre uma grande revolução fashion: a chegada dos catálogos de moda. As publicações eram oferecidas por vendedores de livros que passavam de porta em porta e traziam um mix de opções em tecidos, roupas, além de móveis, materiais de pesca, caça, entre outros. Véra guarda em casa, inclusive, um catálogo antigo que pertencia a sua sogra, além das primeiras revistas de moda com as quais teve contato, ainda adolescente. As revistas chegaram por aqui a partir de 1950 e foram responsáveis por um novo capítulo na indumentária local.

– Essas revistas eram muito versadas em cima do cinema, das atrizes – aponta ela.

Também não dá para falar da moda da região sem citar a forte presença da imigração italiana, que moldou traços identitários que persistem até hoje.

– Agora já estamos falando da população interiorana, a vestimenta italiana veio tão forte que não se desprendeu dessas mulheres até 1920. Ela marcou presença muito forte, com características como o corpo muito coberto e o avental sempre presente. Foram três ou quatro gerações usando a mesma roupa, acho que existia um receio de mudar, era um sentido de ter segurança, algo como “vou me vestir igual a minha mãe porque sei que estarei bem vestida” – contextualiza a autora.  

Outra característica muito regional que acabou por marcar o perfil das vestimentas, conforme Véra, foi a presença maciça das máquinas de costura em praticamente todas as casas:

– Aqui em Caxias, pelo menos até a década de 1970, a moça que iria se casar costumava ter em seu enxoval uma máquina de costura. As mulheres sabiam costurar e faziam as roupas de seus filhos e de si mesmas, sempre espelhadas nesses catálogos ou nessas revistas de moda.

Talvez venha daí a tradição da cidade como berço de grandes costureiras. Nesse sentido, Vestindo Moda presta homenagem a nomes como de Corina Frigeri Wainstein, Lola Salles, Marta De Carli Fichtner, Ilse Adami, Ilda Lucena, Santa Camassola e Irany Segatto. Foi a partir delas também que a cidade preparou-se para desenvolver sua moda autoral, mas esse já é assunto para outro livro.

Leia também
Clube do Fotógrafo de Caxias tem trabalhos selecionados em concurso da Grécia
Canela realiza programação digital da temporada de inverno 
Serra tem 262 projetos culturais selecionados no Edital FAC Digital RS
Leve e delicioso: aprenda a fazer mousse de abacate e cacau
Ciro Fabres: Gafanhotos numa hora dessas?
Guia digital promete esclarecer dúvidas sobre a Lei Aldir Blanc
Level mostra nova identidade visual para celebrar aniversário de oito anos
Bia Nogueira é a nova selecionada da Mostra Tum Tum 8   

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros