Prefeitura de Caxias muda local de performance de dança e gera polêmica - Cultura e Tendência - Pioneiro

Versão mobile

Nova discussão02/11/2017 | 14h14Atualizada em 02/11/2017 | 14h14

Prefeitura de Caxias muda local de performance de dança e gera polêmica

"Via-da Sacra", apresentada por Márcio Ramos, estava prevista para ocorrer em frente à Igreja São Pelegrino, mas foi indeferida pela Semma

Prefeitura de Caxias muda local de performance de dança e gera polêmica Pietro Carlucci/Divulgação
Trabalho discute o fato de determinados corpos não poderem adentrar determinados lugares Foto: Pietro Carlucci / Divulgação

Uma apresentação integrante da programação da Transitória - Mostra de Performances não poderá ocorrer no local planejado por decisão da prefeitura. A performance Via-da Sacra, idealizada e apresentada pelo ator e bailarino Mário Ramos, estava prevista para acontecer durante a tarde desta quinta, na Praça João Pessoa, em frente à Igreja São Pelegrino, em Caxias do Sul. No entanto, um documento expedido pela Secretaria Municipal do Meio Ambiente (Semma) na quarta-feira, indeferiu a apresentação no local — que no último fim de semana foi palco de polêmica envolvendo outra performance, quando a apresentação do bailarino Igor Medina foi confundida com um surto

Leia mais:
Imagens mostram abordagem da Guarda Municipal a bailarino em Caxias do Sul
Performance em praça é confundida com surto e bailarino é levado para atendimento psiquiátrico em Caxias do Sul
Bailarino ficou 8 horas amarrado depois de ser parado por guardas durante performance em Caxias do Sul

Por sugestão da própria prefeitura, a apresentação de Márcio Ramos será realizada na parte externa do Centro de Cultura Ordovás, às 16h desta quinta. A troca no lugar da performance, no entanto, gerou reclamações nas redes sociais. "Esse trabalho que deveria ocupar as ruas - pois a arte precisa estar no espaço urbano, livre, transitando entre a população - não poderá mais transitar por onde iria transitar. A VIA-DA SACRA não pode ocupar seu local em que estive estruturando, estudando e projetando nas últimas semanas - de estar perto da Igreja. Quem me conhece sabe o quanto eu respeito os outros - motivo de construir trabalhos buscando essa visibilidade e respeito para pessoas que são marginalizadas e excluídas. A VIA-DA SACRA fala justamente sobre isso: determinados corpos que não podem adentrar determinados lugares. Lugares esses que eu respeito demais e jamais criaria algo para desrespeitar", opinou Márcio Ramos, em seu perfil no Facebook.

Daniela Cavalcante, uma das curadoras da Transitória, disse que a performance na Praça João Pessoa havia sido liberada pela Secretaria do Urbanismo ainda no dia 26 de outubro, porém, houve o indeferimento por parte da Semma na última hora.

— Não tivemos tempo de dialogar, talvez a intenção seja de precaução, para evitar mais erros como os que aconteceram no episódio do fim de semana, mas o trabalho do artista acaba sofrendo uma descaracterização completa com a troca de lugar — comentou ela.

Conforme a organização da Transitória, o documento apresentado pela Semma não apresentava justificativas para o indeferimento da apresentação. Cristina Calcagnotto, também envolvida na iniciativa, salientou no entanto que havia uma preocupação da secretaria em função de a apresentação ser justamente no Dia de Finados, quando há maior movimentação no entorno das igrejas.

— Acredito que eles podem ter ficado preocupados com a questão da mobilidade — ponderou.

A reportagem tentou contato com a secretária da Semma, Patrícia Rasia, mas o telefone estava fora da área. 


 

Veja também

Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros