Presidente do Samae deixará Governo Flávio Cassina - Política - Pioneiro

Vers?o mobile

 
 

Eleições 202002/04/2020 | 11h22Atualizada em 02/04/2020 | 11h37

Presidente do Samae deixará Governo Flávio Cassina

Idair Moschen cumprirá prazo para desincompatibilização que termina dia 4 de abril

Presidente do Samae deixará Governo Flávio Cassina João Pedro Bressan/divulgação
Foto: João Pedro Bressan / divulgação

Além de lidar com a pandemia do coronavírus, os prefeitos de todo o país tem outra preocupação: a saída de secretários municipais que desejam disputar um cargo na eleição de 4 de outubro. O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) determina que o prazo de desincompatibilização é de seis meses antes da eleição, e termina no próximo sábado, dia 4 de abril.

Leia mais:
Período de permanência de vereador licenciado como secretário municipal, em Caxias, provoca questionamentos

Em Caxias do Sul, o prefeito Flávio Cassina (PTB) trabalha para substituir pelo menos quatro secretários. A mudança confirmada é do diretor-presidente do Samae, Idair Moschen. Ele confirmou sua saída da autarquia até sexta-feira (3) para respeitar o prazo da desincompatibilização. Ele defende que o prazo para as desincompatibilizações seja alterado.

– No momento em que todos os esforços são para combater a covid-19, ficarmos ansiosos com relação à eleição. Largar tudo não é a solução. A covid-19 não pode ser o principal agente político da atualidade. É um agente que não poder ser punido pela Justiça Eleitoral, mas já está tratando os demais concorrentes com vantagem.

Outra possibilidade concreta é na Secretaria da Cultura. O vereador Paulo Périco (MDB) deve deixar o cargo para concorrer à reeleição. Os questionamentos sobre o pouco tempo de permanência de Périco na pasta iniciaram-se após a confirmação de seu nome no cargo no dia 22 de janeiro. Périco permanecerá no comando da pasta por 73 dias. A saída dele do governo municipal provoca duas mudanças: Périco reassume sua cadeira na Câmara e o vereador Adriano Bressan (MDB), primeiro suplente, deixará o Legislativo. Com a saída de Bressan, que também ocupa a função de líder do governo, Cassina terá que procurar outro vereador para o posto.

O Secretário do Urbanismo, João Uez (PSDB), também é cotado para concorrer vereador. Ele chegou a acumular sete secretarias no novo governo. Uez foi assessor do ex-vereador Chico Spiandorello (DEM) e da vereadora Paula Ioris (PSDB).

­O vice-prefeito Elói Frizzo (PSB), que acumula a Secretaria de Planejamento, chegou a cogitar a possibilidade de afastar-se da pasta para evitar o impedimento de disputar um cargo no próximo pleito. Ele garantiu, porém, que permanecerá no Planejamento atendendo a um pedido de Cassina. 

Périco e Uez não atenderam às ligações da reportagem.

Crítica à "troca-troca de cadeiras"

Em suas redes sociais, o vereador Alberto Meneguzzi (PSB) publicou um longo texto onde critica o que chamou de “troca-troca de cadeiras no primeiro escalão do governo municipal”. Segundo o socialista, as mudanças de secretários irão gerar custos e instabilidade política, além de comprometer as ações do governo. Ele ressalta ainda que o calendário eleitoral deve ficar em segundo plano e a política partidária e os interesses eleitorais não podem contaminar a administração de municipal.

Meneguzzi lembrou ainda que o Governo Flávio Cassina (PTB) tem a missão de comandar a prefeitura por apenas um ano e que apenas iniciou o quarto mês de sua administração.

"Tudo isso afeta diretamente as contas do município e requer, de quem faz parte do governo, um trabalho redobrado. Para enfrentar esta pandemia e, por consequência, a crise econômica que já está acontecendo e tende a piorar. Precisamos de uma gestão austera, eficiente, com uma equipe coesa e disposta a cumprir as promessas que foram feitas quando da posse: deixar as contas em dia, melhorar a eficiência e a qualidade dos serviços prestados para a população."

Em Farroupilha, seis secretários deixaram o governo para concorrer a vereador

Já em Farroupilha, o prefeito Claiton Gonçalves (PDT), que reassumiu o cargo após 20 dias de licença-saúde, trocou 11 secretários de uma única vez. Do total, oito tiveram suas exonerações a pedido publicadas no Diário Oficial do Município na terça-feira (31), mesmo dia do retorno de Claiton.

Dos oito, seis deixaram o governo para concorrer a vereador. O secretário de Desenvolvimento Rural, Rudmar Elbio da Silva (PSB), reassume o mandato de vereador no lugar do suplente Odair Sobierai (PSB). A secretária de Educação, Elaine Giuliato, deixou o governo e é a aposta do PDT para concorrer a prefeita. 

Já os secretários do Desenvolvimento Econômico, Trabalho e Renda, Roque Severgnini (PSB); do Turismo e Cultura, e Esporte, Lazer e Juventude, Francis Casali (PDT); do Desenvolvimento Urbano, Infraestrutura e Trânsito, Gilberto do Amarante (PDT); e do Desenvolvimento Social e Habitação, Renata Trubian (Rede), também pretendem disputar uma cadeira na Câmara.

O titular da Secretaria do Planejamento, Gabriel Bianchet Tavares, pediu exoneração, mas, segundo fontes, não vai concorrer. A saída em massa expõe a contrariedade dos secretários com o retorno do prefeito.

 Claiton exonerou outros três cargos. Ele retirou o secretário de Saúde interino, Davi André de Almeida, a secretária de Gestão e Desenvolvimento Humano, Elda Bruttomesso, e o secretário de Finanças interino, Gilmar Paulus.

O prefeito não atendeu à reportagem devido a reuniões durante a tarde desta quarta-feira (1º). 

Leia também:
Os posicionamentos dos deputados de Caxias junto ao governo do Estado diante da pandemia de coronavírus
Projetos mantêm salários sem reajuste aos eleitos em Caxias do Sul neste ano
Republicanos reitera ex-prefeito Daniel Guerra como protagonista do planejamento do partido para a eleição

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros