''Partidos não têm ascensão nesse governo'', afirma secretário de Obras e presidente do PTB caxiense - Política - Pioneiro

Vers?o mobile

 
 

Entrevista da 2ª24/02/2020 | 06h59Atualizada em 24/02/2020 | 07h01

''Partidos não têm ascensão nesse governo'', afirma secretário de Obras e presidente do PTB caxiense

Gilberto Meletti nega indicações partidárias de CCs na prefeitura de Caxias

''Partidos não têm ascensão nesse governo'', afirma secretário de Obras e presidente do PTB caxiense Porthus Junior/Agencia RBS
Foto: Porthus Junior / Agencia RBS

O presidente do PTB e secretário de Obras e Serviços Públicos, Gilberto Meletti, evitou comentar sobre a decisão do Governo Flávio Cassina (PTB) em nomear pessoas que trabalharam como cargos em comissão (CCs) nos governos Alceu Barbosa Velho (PDT) e José Ivo Sartori (MDB).

Na entrevista concedida no Salão Nobre da prefeitura, na última sexta-feira (21), depois do horário de expediente, Meletti falou dos problemas deixados pela administração Daniel Guerra (Republicanos), as recentes desfiliações do partido e a provável candidatura do vereador Adiló Didomenico (PTB) à prefeitura de Caxias do Sul.

Pioneiro: Como encontrou a Secretaria de Obras e Serviços Públicos?

Gilberto Meletti: No final do ano passado, quando chegamos lá, a secretaria estava com algumas dificuldades em termos de materiais. Tínhamos algumas licitações em andamento e muitos editais se encerravam no dia 31 de dezembro. Essa é a maior dificuldade que a gente encontrou. Encontramos também uma série de dificuldades no sentido de manutenção viária, que até hoje está sem licitação. Pretendemos no início de março chamar o segundo colocado já que o primeiro não executou o trabalho. Caxias ficou um pouco abandonada na parte viária. Estamos acertando a parte da recuperação asfáltica em um contrato com a Codeca. Também a dotação orçamentária é pouca para que a gente possa realizar tudo o que é necessário.

O governo passado tem afirmado que o preço da tabela de serviços da Codeca é acima do valor de outras empresas. O que a atual gestão pretende fazer?

Existe um preço e nós estamos acertando esse contrato dentro da tabela de mercado. Temos que avaliar a qualidade do trabalho da Codeca. As pavimentações do interior sempre foram excelentes. E nós temos que manter a empresa que é da prefeitura, manter aqueles funcionários que em todos os momentos estão conosco. Lógico, temos o setor de gestão que vai avaliar e determinar os valores de acordo com o que é melhor para a prefeitura.

Quais suas prioridades?

Em primeiro lugar temos que fazer essa recuperação na cidade tanto na parte de asfalto, de paralelepípedos e de calçadas. Temos obras em que havia a promessa de se fazer o asfaltamento e dentro do ano estaremos fazendo após o acerto financeiro na contratação. Temos alguns projetos em andamento na área da drenagem que são importantes para eliminar alguns problemas críticos de alagamentos.  Caxias do Sul tem um problema bastante grande devido a canalizações que passam em meio de quadra e dificultam a manutenção e conservação. As pessoas estão construindo em cima das galerias. Esse é um setor que estamos fazendo alguns projetos e buscando dentro do nosso orçamento condição de viabilizar. E depois vem a pavimentação comunitária.

Por que tantas desfiliações recentes no PTB?

Gostaria de salientar que a minha condição de secretário de Obras é um convite pessoal do prefeito. Ele solicitou que eu viesse participar do governo pela minha experiência de 12 anos na Codeca, três anos de Câmara e minha formação de engenheiro. Minha condição de secretário é independente da minha condição partidária. As pessoas que se desfiliaram até agora não vieram conversar comigo, então não posso dizer o motivo. Sou uma pessoa que sempre procura manter o diálogo, ser transparente, conversar com todos. Eles têm a liberdade de vir conversar comigo, será um prazer conversar com eles. Cada um é dono de si, mas não concordo com algumas posturas, assuntos de economia interna, por exemplo, não são necessários levar para a mídia.

Esses descontentamentos são com o partido, o Governo Cassina ou solicitaram cargos e não foram atendidos?

Nesse governo os partidos não têm ascensão e nem poder de definição de cargos. Isso ficou a cargo da gestão do gabinete e junto com os vereadores que participaram. Não tenho como saber se foi descontentamento partidário ou por falta de cargos. Logicamente, a gente como partido sempre busca espaço, é inevitável, mas não tenho poder de definir. Então eu gostaria de ouvir o que as pessoas estão pensando. Foram três dissidências que a gente teve até o momento, infelizmente. Sempre foram nossos parceiros.

Há críticas de que não poderia ocupar cargo de secretário por ser presidente do PTB.

Estou no partido há mais de 20 anos. Quando os outros presidentes assumiram também tiveram cargos (de comissão). Tudo depende das tuas atitudes. A minha atitude é meramente profissional. Eu dentro da minha secretaria não discuto e nem admito que se discutam assuntos políticos.

O vereador Adiló Didomenico será candidato a prefeito?

É um nome que está em pauta. Ele está colocando o nome para o partido como filiado. O diretório através da sua convenção é que vai definir se aceita ou não. É um nome forte.

O senhor será o responsável pelas alianças para a campanha à prefeitura de Caxias?

Não vou ser o coordenador de campanha de forma nenhuma. Tem uma equipe de trabalho, mas que não compete a mim. Tem outras pessoas que estão trabalhando na campanha, mas não sou o coordenador de nada. Não farei esse tipo de trabalho. Se eventualmente não estiver na situação que estou hoje... Não vou fazer coordenação de campanha na condição atual.

Flávio Cassina é prefeito, Adiló Didomenico deve ser candidato à prefeitura e Alceu Thomé diz que não pretende concorrer à reeleição. Como o PTB pretende manter uma bancada com três vereadores?

O vereador Thomé expressou que talvez não concorra, mas ainda não está definido. Ele está numa indecisão, é uma questão particular, pessoal. Ele disse que se não concorrer vai ajudar o partido na campanha, mas a gente tem a vontade que ele concorra. Com relação aos demais votos (dos vereadores Cassina e Adiló), temos que confiar e dar credibilidade aos atuais pré-candidatos e que se tornarão candidatos, são 35 no total. Vamos fazer com que eles tenham a condição de buscarem esses votos. É difícil buscar os quase 6 mil votos que fez o Adiló, mas tem de ser muito bem trabalhado para fazer uma bancada expressiva na Câmara.

O prefeito Flávio Cassina tem nomeado ex-CCs de governos passados. Essa atitude pode prejudicar a imagem do governo?

Eu vou me permitir a não entrar no detalhe das atitudes da atual gestão, do prefeito, do vice e do gabinete. Eu não tenho essa competência de dizer por que eles estão colocando, se estão colocando, e se isso vai repercutir. Seria uma opinião muito particular que não reflete a realidade do governo.

E pode atingir a candidatura a prefeito de Adiló Didomenico?

Eu não creio, mas faço um questionamento: se essa pessoa exercer determinada função e apresentar um bom resultado pode atingir positivamente não é? Não gostaria de entrar no mérito da gestão do gabinete do prefeito porque não tenho esse direito, nem como secretário, nem como partidário. Eles devem tomar as atitudes e devem estar cientes e conscientes das atitudes que estão tomando.

Leia também  
"Encerrou-se um ciclo de apoio à pessoa de Daniel Guerra", diz ex-líder de governo de Caxias do Sul A polêmica remuneração para cargo voluntário da ex-rainha da Festa da Uva de Caxias do Sul Protocolado segundo pedido de impeachment de prefeito de Caxias

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros