Após deixar a Câmara durante a votação do impeachment, defesa de Guerra assina decreto de cassação - Política - Pioneiro

Versão mobile

 
 

Caxias do Sul22/12/2019 | 15h46Atualizada em 22/12/2019 | 20h36

Após deixar a Câmara durante a votação do impeachment, defesa de Guerra assina decreto de cassação

Próxima etapa é a publicação do documento

 

Impeachment Guerra
Cássia Kunh voltou ao Legislativo no início da tardeFoto: Tales Armiliato / Agência RBS

Após deixar o plenário ainda na votação do primeiro item que levou ao impeachment do prefeito de Caxias do Sul, Daniel Guerra (Republicanos), a defensora dele no processo, Cássia Kunh, voltou à Câmara de Vereadores para assinar o decreto legislativo de afastamento. Ela foi ao Legislativo no início da tarde deste domingo (21), finalizando a etapa prévia à publicação do documento que está prevista para a segunda-feira (22).

Leia mais
Lideranças acham impeachment ruim para a imagem de Caxias, mas acreditam que decisão trará retomada de diálogo
Prefeito afastado de Caxias se manifesta sobre o impeachment: "maior ataque à democracia"
Em nota, CIC espera que novo prefeito pregue harmonia e recupere a autoestima de Caxias do Sul

Cássia, que é procuradora-geral do município, disse que teve uma queda de pressão durante a votação e, por isso, deixou o Legislativo antes do fim da votação. A sessão foi a mais longa da história da Câmara de Caxias, com duração de quase 52 horas. 

 Com o afastamento de Guerra, quem assume o cargo é o presidente do Legislativo, Flavio Cassina (PTB).

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros