Cenário aponta 12 partidos com a intenção de apresentar candidato à prefeitura de Caxias do Sul - Política - Pioneiro

Vers?o mobile

 
 

Eleições 202004/10/2019 | 14h00Atualizada em 04/10/2019 | 14h14

Cenário aponta 12 partidos com a intenção de apresentar candidato à prefeitura de Caxias do Sul

Compromisso com a urna para escolher prefeito e vereadores tem data marcada: 4 de outubro de 2020

Cenário aponta 12 partidos com a intenção de apresentar candidato à prefeitura de Caxias do Sul Marcelo Casagrande/Agencia RBS
Foto: Marcelo Casagrande / Agencia RBS

A exato um ano da eleição municipal, 12 partidos já externaram a intenção de apresentar candidato à prefeitura de Caxias do Sul. São eles, DEM, Novo, MDB, PT, PSL, PDT, PTB, Podemos, PCdoB, PSD, Republicanos e Solidariedade. O pleito que definirá os novos prefeitos e vereadores ocorrerá no dia 4 de outubro de 2020. 

O número de candidatos à prefeitura será definido entre os dias 20 de julho e 5 de agosto, período das convenções partidárias, conforme prevê a Lei da Reforma Política de 2015. Porém, até dezembro, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) pode mudar as datas por resolução. Até lá, muita água irá rolar, e a tendência, que se materializa em todas as eleições, é a redução do número de candidaturas. Por outro lado, os partidos devem apresentar candidatura a prefeito para dar visibilidade aos candidatos a vereadores. Na eleição do ano que vem, não haverá coligação para a eleição proporcional.

Duas candidaturas são incertas: as do prefeito Daniel Guerra (Republicanos) e do ex-governador José Ivo Sartori (MDB), padrinho político do chefe do Executivo. O primeiro cargo público de Guerra foi o de secretário de Turismo (2005-2008), a convite de Sartori. Guerra defende a reeleição de seu projeto e uma candidatura à reeleição é natural. O candidato pode ser ele ou outro nome do partido. Nos bastidores, são cogitados o irmão e atual chefe de Gabinete, Chico Guerra, ou o secretário da Saúde e presidente do Republicanos, Júlio César Freitas da Rosa. Chico está impedido de concorrer a prefeito por ser irmão do prefeito. Guerra quer o apoio do PSL, partido do presidente Jair Bolsonaro, e do Solidariedade, do deputado Neri, o Carteiro. As duas siglas querem distância de Guerra.

O MDB espera pela manifestação oficial de Sartori se concorrerá ou não. Enquanto isso, o deputado estadual e ex-prefeito de São José dos Ausentes Carlos Búrigo intensifica as agendas na cidade em busca de maior visibilidade. A direção partidária trabalha para apresentar chapa pura. O nome cotado para a vaga de vice é o do vereador Felipe Gremelmaier.

Outros dois ex-prefeitos podem aparecer na disputa. A direção do PDT gostaria de apresentar Alceu Barbosa Velho para defender sua administração. Alceu prefere tom de cautela para responder se estará na disputa de 2020. Ele usa a frase de Sartori para comentar:  

– Se não posso dizer que sim, também não preciso dizer que não.

Já o PT aprovou resolução em defesa da formação de uma frente de esquerda formada por partidos de oposição ao Governo Bolsonaro, que reúne PCdoB, PDT, PSB, PSOL, Rede e PCB. O partido sinaliza que pode abrir mão da cabeça de chapa, porém nos bastidores a previsão é de que o ex-prefeito Pepe Vargas concorra a prefeito outra vez.

NOME BAJULADO

O nome do deputado estadual Neri, O Carteiro (Solidariedade), que emergiu com força da eleição de 2018 à Assembleia Legislativa, é a alternativa do partido para a disputa à prefeitura. Depois de Sartori é o mais bajulado para o pleito do ano que vem.

O movimento de Neri é acompanhado de perto pelos demais partidos. O deputado estadual já admitiu o sonho de concorrer a prefeito, mas se sente impedido por defender o cumprimento do mandato que conquistou à Assembleia. Neri diz que ouvirá seus eleitores para tomar a decisão.

Dois nomes lançados por partidos

Duas siglas já apresentaram seus pré-candidatos. O nome do PCdoB para a disputa é o do gerente regional da Secretaria do Trabalho do Ministério da Economia (antigo Ministério do Trabalho e Emprego), Vanius Corte. Ele já foi procurador-geral do município no Governo Pepe Vargas. No último sábado, o Podemos confirmou o nome do ex-vice-prefeito Antonio Feldmann para concorrer. Ele está confiante na vitória.

– Acredito que podemos, sim, ganhar a eleição do ano que vem e, para isso, a partir de agora, vamos buscar mais parceiros e construir uma aliança em cima de ideias e propostas.

A campanha mais visível é a do vereador Adiló Didomenico (PTB) e da vereadora Paula Ioris (PSDB), respectivamente, pré-candidatos a prefeito e a vice. Eles não confirmam, mas a movimentação política dos dois evidencia a chapa.

Outro nome que deverá compor a urna é o de Marcelo Slaviero (Novo). Para isso, ele precisa ser aprovado no processo seletivo partidário. O resultado deve sair até final de outubro.

3 siglas em busca de candidatos

Três partidos ainda buscam um candidato. Um deles é o PSD, que oficializou o convite para o ex-deputado estadual Vinicius Ribeiro disputar a eleição e aguarda resposta. Caso o pedetista decline do convite, o partido deve recuar da candidatura própria e pretende apresentar o vereador Kiko Girardi como candidato a vice. 

Os principais partidos da base do Governo Bolsonaro, PSL e DEM, trabalham suas alternativas com mais reserva. O nome de Jaime Andreazza chegou a ser cogitado como candidato no partido do presidente, o PSL, mas o empresário afirmou que não tem intenção de concorrer a cargo público. O DEM teria convidado Vinicius Ribeiro, além de um empresário. A sigla deve anunciar o nome até o final do ano.

Leia também:
Convite ao prefeito de Caxias para ir à Câmara é aprovado, mas com surpresas
PSD quer Vinicius Ribeiro no partido e candidato a prefeito de Caxias
CPI conclui que vereador usava estrutura da Câmara de Bento Gonçalves para criar e manter perfis falsos





 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros