"Até o fim do ano? De maneira alguma" , afirma procuradora sobre possível prorrogação de desocupação da Maesa - Política - Pioneiro

Vers?o mobile

 
 

Impasse14/08/2019 | 07h15Atualizada em 14/08/2019 | 13h56

"Até o fim do ano? De maneira alguma" , afirma procuradora sobre possível prorrogação de desocupação da Maesa

Caso o pedido de adiamento de saída seja muito amplo, PGM ameaça solicitar ao judiciário que utilize meios compulsórios para a retirada

"Até o fim do ano? De maneira alguma" , afirma procuradora sobre possível prorrogação de desocupação da Maesa Diogo Sallaberry/Agencia RBS
Foto: Diogo Sallaberry / Agencia RBS
Pioneiro
Pioneiro

No dia 24 de julho, a 2ª Vara Cível Especializada em Fazenda Pública de Caxias do Sul determinou a saída imediata da Metalcorte Fundição do antigo prédio da Maesa. A decisão definia prazo de 15 dias para a desocupação.

— Por uma questão de bom senso o município ainda esperou uma semana, sendo que não houve nenhum movimento de saída. Nós já peticionamos no processo judicial para que o Judiciário promova a retirada, já que não foi voluntária, que seja compulsória — afirma a procuradora-geral do Município, Cássia Kuhn.

Leia mais
Defesa de Voges confirma que recorrerá de decisão que decretou falência de empresa de Caxias
Administrador judicial do Grupo Voges vai pedir prorrogação de prazo para desocupar Maesa

Sobre a intenção do administrador judicial solicitar prorrogação do prazo de saída, Cássia afirmou que o município poderia "avaliar" os termos propostos e, se possível, homologar junto ao Judiciário. Porém, quando informada da possibilidade de o pedido ser pelo adiamento da saída para o final do ano, a procuradora descartou a hipótese: 

— Até o fim do ano? De maneira alguma. O município daria no máximo dez dias. Isso (impasse sobre a saída) vem se enrolando desde o fim de 2017. Se a proposta vier nesse sentido, o município segue com pedido judicial e vamos solicitar ao judiciário que utilize meios compulsórios.

A saída compulsória consiste em determinação judiciária executada por meio de mandado com oficial de justiça e utilização de força policial para a retirada. 

As atividades cessaram na última sexta-feira (9). Nesta terça-feira (13), os portões estavam fechados e sem movimentação quando o Pioneiro esteve no local. No entanto, vídeos divulgados nas redes sociais mostram suposta movimentação de retirada de maquinário de dentro da empresa. 

Leia também
Recadastramento biométrico está em andamento em cinco cidades da Serra
Prorrogadas inscrições para concurso do Conselho Regional de Odontologia
Publicados horários e locais da prova objetiva do concurso público da Codeca, de Caxias

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros