Vereador investigado pelo Ministério Público integra Comissão de Ética na Câmara de Farroupilha - Política - Pioneiro

Vers?o mobile

 
 

Representação15/07/2019 | 11h49Atualizada em 15/07/2019 | 11h54

Vereador investigado pelo Ministério Público integra Comissão de Ética na Câmara de Farroupilha

Regimento interno prevê a participação de um parlamentar de cada bancada; Sedinei Catafesta é o único eleito pelo PSD

Vereador investigado pelo Ministério Público integra Comissão de Ética na Câmara de Farroupilha Gabriel Venzon/Divulgação
MP diz que Catafesta recebeu propina para direcionar licitação Foto: Gabriel Venzon / Divulgação

O vereador Sedinei Catafesta (PSD) é um dos nomes que integra a Comissão de Ética da Câmara de Farroupilha que foi aberta após a operação do Ministério Público (MP) investigar o suplente dele, Raul Herpich (PDT), suspeito de desviar R$ 1,1 milhão de duas cooperativas habitacionais que presidia. O Regimento Interno da Câmara prevê que todas as bancadas façam parte da Comissão de Ética. Catafesta é o único eleito pelo PSD. Ou seja, o cumprimento do regimento dependia da participação dele. 

Conforme a procuradora do Legislativo farroupilhense, Viviane Varela, não existe nenhuma definição sobre se ele integrará ou não a subcomissão, que será formada por três vereadores e irá avaliar se Herpich quebrou decoro parlamentar. 

Embora a Comissão de Ética esteja criada, o procedimento envolvendo Herpich precisa de uma representação formal para existir. Isso ainda não aconteceu. Se ela for feita, o processo terá andamento. 

Leia mais
Operação sequestra bens de vereador suspeito de desviar R$ 1,1 milhão em Farroupilha
MP aponta que vereador de Farroupilha recebeu R$ 20 mil em propina
Comissão de Ética vai apurar se suplente de vereador em Farroupilha quebrou decoro

Na manhã desta segunda-feira (15), Catafesta afirmou que não vai participar da comissão e apenas ajudou a indicar o presidente, como prevê o regimento. Fabiano Piccoli (PT) é quem preside os trabalhos. Questionado sobre se irá participar das reuniões, Catafesta não respondeu. Na Câmara, não houve nenhuma representação contra ele. 

Entenda o caso 

No dia 19 de junho, Herpich foi alvo de uma operação que apura se ele se apropriou de maneira ilegal de recursos de duas cooperativas habitacionais que presidia. Depois disso, o prefeito de Farroupilha, Claiton Gonçalves (PDT), exonerou Catafesta do cargo de secretário do Esporte, Lazer e Juventude, proporcionando que ele voltasse ao Legislativo para retornar à cadeira então ocupada por Herpich, que era suplente.  

No dia 1º de julho, quando o vereador do PSD voltou ao Legislativo, veio à tona a investigação contra ele. O MP  aponta que ele cometeu improbidade administrativa. Conforme a promotoria, ele recebeu R$ 20 mil para direcionar uma licitação quando era presidente da Câmara, em 2014. O processo era para a compra de um módulo deslizante. Também neste dia, a abertura da Comissão de Ética foi aprovada na Câmara, com a intenção de avaliar se houve quebra de decoro de Herpich. 

Contrapontos

No dia 4 de julho, Catafesta emitiu uma nota em que nega ter recebido propina para fraudar o processo licitatório. O vereador Raul Herpich estava com o telefone desligado entre 9h33min e 10h57min desta segunda-feira (15), período em que a reportagem fez três tentativas de ligação. 

Composição da Comissão de Ética

Sedinei Catafesta (PSD)
Fabiano Piccoli (PT)
Odair Solbierai (PSB)
Beto Maioli (Rede)
Leo Guth (PRB)
Deivid Argenta (PDT)
Sedinei Catafesta (PSD)
Tadeu Salib dos Santos (PP)
Jonas Tomazini (MDB)

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros