Vereadores se mobilizam para criação da Delegacia do Idoso em Caxias do Sul - Política - Pioneiro

Vers?o mobile

 
 

Especializada11/06/2019 | 16h37Atualizada em 11/06/2019 | 16h45

Vereadores se mobilizam para criação da Delegacia do Idoso em Caxias do Sul

Delegado regional diz que existe necessidade, mas reconhece que se trata de um processo lento

Vereadores se mobilizam para criação da Delegacia do Idoso em Caxias do Sul Roni Rigon/Agencia RBS
Em 2018, o Conselho Municipal do Idoso recebeu 76 denúncias Foto: Roni Rigon / Agencia RBS

Vereadores de Caxias do Sul têm feito uma série de reuniões em busca de apoio à instalação de uma Delegacia de Proteção ao Idoso na cidade. Um documento com a solicitação também já foi levado ao Governo do Estado para apresentar a demanda. Entre as justificativas estão a necessidade de oferecer uma referência em casos que envolvem a segurança desta faixa etária. No ano passado, por exemplo, o Conselho Municipal do Idoso recebeu 76 denúncias de violência ou negligência.

O presidente da Comissão, vereador Felipe Gremelmaier (MDB), cita que Caxias do Sul tem cerca de 70 mil idosos. O vereador comenta, por exemplo, que o Procon tem registros frequentes de problemas relacionados a dinheiro - este grupo costuma ser alvo de financeiras que oferecem empréstimos, por exemplo. O próximo passo para dar andamento à iniciativa é o agendamento de uma reunião com o Ministério Público. Depois, a ideia é ir novamente à Secretaria de Segurança Pública do Estado para marcar posição sobre a mobilização.

Para o delegado regional de Caxias do Sul, Paulo Rosa, existe a necessidade de se ampliar a proteção a pessoas com mais de 60 anos. Entre os crimes que poderiam ser investigados pela Delegacia do Idoso, estariam casos de maus tratos e estelionatos em que esse público é frequentemente alvo, como golpes do bilhete. Porém, Rosa reconhece que o processo para a criação é lento. O município precisaria de uma autorização do Estado para a posterior criação da delegacia. O início dos trabalhos dependerá ainda de definição de espaço e destinação de efetivo, além de mobília e equipamentos de informática. 

Para tentar viabilizar parte destas necessidades, a Comissão do Idoso na Câmara visitou na segunda-feira (11) o  coordenador da 2ª Procuradoria Geral do Estado, Rafael Orozco. Um documento foi entregue com a sugestão de que a PGE faça acordos com empresas em débito com o governo estadual. A ideia é que as devedoras disponibilizem móveis e aparelhos de informática, por exemplo. Com isso, pagariam as contas junto ao Estado. Orozco diz que, se a instalação da delegacia avançar, há disposição para auxiliar. Segundo ele, é possível tanto fazer acordos com as empresas quanto buscar esta forma de pagamento judicialmente. Um exemplo de casos como esse é bem marcante em Caxias: o prédio da Metalúrgica Abramo Eberle (Maesa) foi transferido para o Estado desta forma. Depois, o imóvel acabou doado ao município. 

Mais de 70 denúncias em um ano

Em 2018, o Conselho Municipal do Idoso recebeu 76 denúncias. Foram 71 feitas por meio do Disque 100 e 5 no presencialmente no Conselho (Rua Borges de Medeiros, 211). A maior parte (39%) foi de negligência, seguida por violência psicológica (27%), violência patrimonial (19%) e violência física (15%). Outros 242 atendimentos também foram realizados, como orientação para casos que envolvem a saúde ou assistência social. 

— A gente apoia e entende o quanto é importante (a Delegacia do Idoso). A população está cada vez mais envelhecendo e a gente precisa de mais serviços — comenta a vice-presidente do Conselho Municipal do Idoso, Daiane Lorandi Camargo. 

Leia também
Ao menos 10 pessoas estavam em bar no momento da chacina com cinco mortos em Bento Gonçalves
Saiba como consultar a restituição do Imposto de Renda via computador ou celular
Caminhão da prefeitura invade garagem de casa em Nova Prata

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros