Ex-assessores serão ouvidos em CPI que investiga suposta repasse de mensagens com perfis falsos por vereador de Bento Gonçalves - Política - Pioneiro

Vers?o mobile

 
 

CPI das Fake News10/06/2019 | 10h51Atualizada em 10/06/2019 | 11h31

Ex-assessores serão ouvidos em CPI que investiga suposta repasse de mensagens com perfis falsos por vereador de Bento Gonçalves

CPI que investiga Moacir Camerini (PDT) em caso de criação de perfis falsos inicia trabalhos nesta segunda-feira 

Ex-assessores serão ouvidos em CPI que investiga suposta repasse de mensagens com perfis falsos por vereador de Bento Gonçalves Lucas Amorelli/Agencia RBS
Foto: Lucas Amorelli / Agencia RBS

Os trabalhos da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) das Fake News, formada para investigar a suposta utilização da estrutura funcional da Câmara de Vereadores de Bento Gonçalves pelo vereador Moacir Camerini (PDT) para disseminar conteúdos falsos em redes sociais começam a partir das 13h30min desta segunda-feira (10). Serão ouvidos o parlamentar e três ex-assessores. Segundo o despacho de criação da CPI, os funcionários de Camerini teriam agido a mando do parlamentar para propagar imagens, vídeos e comentários caluniosos sobre demais parlamentares e outros representantes políticos do município por meio de perfis falsos.  

De acordo com o requerimento de criação da CPI, em algumas oportunidades, o próprio vereador teria feito a disseminação dos conteúdos. Para Camerini, no entanto, a Comissão Parlamentar tem o objetivo de atingi-lo politicamente, uma vez que é comandada por vereadores de posições divergentes- os quais, de acordo com ele, querem inviabilizar sua candidatura a prefeito. 

Conforme o parlamentar, os assessores que supostamente disseminaram os conteúdos se aliaram aos vereadores de siglas divergentes para desconstrui-lo politicamente. Ele atribui a responsabilidade pela divulgação das mensagens aos próprios ex-assessores.

— É uma CPI com cunho político, é perseguição política. Quando optei por mandá-los embora, eles se aliaram a outros parlamentares que têm posturas diferentes da minha. Eu não concordo com isso e encaminhei denúncia ao Ministério Público. É um gesto desnecessário da estrutura da Câmara.  Tinha que investigar todos, não somente eu – argumenta o parlamentar.  

O presidente da Comissão é o vereador Jocelito Tonietto (PDT). Na vice-presidência, está o vereador Idasir dos Santos (MDB). O parlamentar Volnei Christofoli (PP) é relator. O documento de criação da CPI foi assinado por 14 parlamentares. A CPI terá o prazo de 120 dias e pode ser prorrogada por mais 60.  

Leia também
Os dias sabáticos de José Ivo Sartori
Ex-presidente do PRB de Caxias do Sul contesta declarações do atual
Secretário de Saúde de Caxias do Sul está de férias de fachada 

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros