MP investiga secretárias sócias em Caxias do Sul - Política - Pioneiro

Vers?o mobile

 
 

Administração pública17/04/2019 | 10h42Atualizada em 17/04/2019 | 13h35

MP investiga secretárias sócias em Caxias do Sul

Após representação de Fabris, inquérito civil foi aberto para apurar existência de possíveis irregularidades

MP investiga secretárias sócias em Caxias do Sul Roni Rigon/Agencia RBS
Foto: Roni Rigon / Agencia RBS
Pioneiro
Pioneiro

O Ministério Público (MP) vai investigar possível afronta à Lei Orgânica do Município de Caxias do Sul, ao Estatuto dos Servidores Municipais e à Lei de Improbidade Administrativa pelo município e as secretárias da Agricultura, Camila Sandri Sirena; do Urbanismo, Mirangela Rossi; do Turismo, Renata Aquino Carraro; e de Recursos Humanos e Logística, Vangelisa Lorandi, por participarem ou terem participado de sociedades comerciais como sócias-administradoras ao mesmo tempo em que exercem cargo no governo do prefeito Daniel Guerra (PRB). O inquérito civil foi aberto na semana passada pelo promotor Alexandre Porto França.

Em novembro do ano passado, o Pioneiro publicou reportagem com o pedido do então vice-prefeito, Ricardo Fabris de Abreu, de abertura de procedimento administrativo contras as quatro secretárias. Sem qualquer providência do governo municipal, Fabris encaminhou a denúncia ao MP.

Leia mais
Secretárias municipais são sócias de empresas em Caxias do Sul
Relatório indica que empresa de secretária da Agricultura prestou serviço a particular durante sua gestão 

Na época, Fabris juntou cópia dos registros das empresas na Junta Comercial, Industrial e Serviços (JucisRS). Camila, titular da Secretaria da Agricultura, era sócia-administradora da empresa Lovatel, Sandri e Vanin Assessoria Agronômica Ltda ME, prestadora de serviço de consultoria e assistência técnica nas áreas de agricultura e pecuária, com atuação no mercado desde 1º de abril de 2016. Em consulta realizada ontem no site da Receita Federal, Camila aparece não mais como sócia-administrativa, mas apenas como sócia. Ela também aparece como sócia em outra empresa, a S & S Capital e Participações Ltda, empresa de administração, locação, compra e venda de bens próprios. A empresa iniciou as atividades em 1º de novembro de 2018.

Já Renata, secretária de Turismo, era sócia da Aquino Carraro Negócios Imobiliários e Representações Ltda, empresa de compra e venda de bens móveis e imóveis em atividade desde 11 de julho de 2014. Em pesquisa realizada ontem, a empresa mantém o mesmo CNPJ, mas alterou o nome para CAC Promotora de Vendas e Renata deixou o quadro de sócios.

Vangelisa, titular da Secretaria de Recursos Humanos, era sócia da microempresa que levava seu nome. O negócio prestava serviço de treinamento e capacitação gerencial e profissional, além de organização de feiras, congressos, exposições e festas. A empresa iniciou suas atividades em 4 de abril de 2012 e foi extinta em 18 de janeiro deste ano.

Mirangela, que atua como secretária do Urbanismo, foi sócia da Effectiva Construtora e Incorporadora Ltda de 13 de maio de 2011 a 3 de janeiro de 2017. Ela deixou a empresa de construção, incorporação e comercialização de imóveis residenciais, comerciais e industriais três dias após o início do mandato de Guerra.

O promotor Alexandre Porto França conta que solicitou, por meio de ofício, um pedido de informação questionando se o município realizou a contratação com as empresas em que as secretárias são sócias. Outra possível irregularidade investigada é se as secretárias praticaram atos de gestão como sócias-administradoras em suas respectivas empresas no mesmo período com que atuam como secretárias.

A prefeitura tem prazo de 15 dias para encaminhar respostas aos questionamentos.

Leia também
Jovem que morreu em acidente com moto será sepultado nesta quarta em Caxias
Emater fecha em R$ 6,6 milhões o balanço de perdas na agricultura da Serra
Homem socorre vítima de roubo e detém assaltante no bairro Kayser

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros