Câmara rejeita a admissibilidade do impeachment do prefeito Daniel Guerra  - Política - Pioneiro

Vers?o mobile

 
 

Politica12/02/2019 | 16h12Atualizada em 12/02/2019 | 19h26

Câmara rejeita a admissibilidade do impeachment do prefeito Daniel Guerra 

16 vereadores contra o pedido assinado por Ricardo Fabris

Câmara rejeita a admissibilidade do impeachment do prefeito Daniel Guerra  Marcelo Casagrande/Agencia RBS
Foto: Marcelo Casagrande / Agencia RBS

Foi rejeitado por maioria o pedido de impeachment do prefeito de Caxias do Sul, Daniel Guerra (PRB). Dezesseis vereadores votaram pelo não acolhimento da denúncia; seis votaram pela admissibilidade.

 Leia mais
Votação do pedido de impeachment do prefeito de Caxias do Sul começa tensa  

A votação começou minutos antes das 16h, logo após o término da leitura do documento. Apenas quatro vereadores se manifestaram: Gládis Frizzo (MDB) e Alceu Thomé (PTB) pelo acolhimento e Elisandro Fiuza (PRB) e Paula Ioris (PSDB) pelo não.

Gládis defendeu o voto "sim" por acreditar que qualquer tipo de denúncia deve ser acolhida pela Câmara para ser analisada com profundidade. 

— Clamo que o senhor prefeito desça do pedestal e use as sandálias da humildade — acrescentou Thomé. 

Paula Ioris (PSDB), que mantinha segredo sobre sua posição, usou o tempo de dois minutos a que tinha direito para se colocar contra o pedido. E resumiu o sentimento que alguns parlamentares manifestaram nos bastidores: de que a denúncia de Fabris era fruto de um conflito entre ele e o prefeito _ Fabris e Guerra estavam rompidos desde o início do governo.  

— Estamos aqui analisando o quinto pedido de impeachment, porque a chapa que se elegeu em nossa cidade não se uniu por propósitos comuns — discursou Paula. 

Elisandro Fiuza (PRB) fez seu papel de líder do governo e defendeu a permanência de Guerra na prefeitura. Destacou que o Legislativo tem a responsabilidade de não cometer uma injustiça por conta de "ranços pessoais ou ideologia política". 

— Quem coloca no cargo público é o povo e quem tira é o povo — finalizou. 

A rejeição ao pedido de impeachment não significa que o prefeito Daniel Guerra terá sossego. Antes mesmo do fim da votação, vereadores já comentavam a possibilidade de abertura de uma CPI da Saúde, para investigar os pontos indicados na própria denúncia de Fabris, como a atuação do Instituto de Gestão e Humanização (IGH), entidade que administra a UPA Zona Norte

Veja como votaram os vereadores: 

Não
Alberto Meneguzzi (PSB)
Adiló Didomenico (PTB)
Edi Carlos (PSB)
Arlindo Bandeira (PP)
Denise Pessôa (PT)
Edson da Rosa (MDB)
Elisandro Fiuza (PRB)
Gustavo Toigo (PDT)
Kiko Girardi (PSD)
Renato Oliveira (PCdoB)
Ricardo Daneluz (PDT)
Rodrigo Beltrão (PT)
Tatiane Frizzo (SD)
Tibiriçá Maineiri (PRB)
Velocino Uez (PDT)
Paula Ioris (PSDB)

Sim

Alceu Thomé (PTB)
Elói Frizzo (PSB)
Felipe Gremelmaier (MDB)
Gládis Frizzo (MDB)
Paulo Périco (MDB)
Rafael Bueno (PDT)

Leia também
Projeto quer proibir consumo de bebida alcoólica no Largo da Estação, em Caxias
"Empoderamento é importante", diz primeiro vereador surdo da Câmara de Caxias do Sul
Vereadores de Caxias do Sul participam de mutirão no Cristóvão de Mendoza  

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros