Exposição com nudez na Câmara cria impasse com a prefeitura de Caxias do Sul - Política - Pioneiro

Versão mobile

 

Arte pol~Emica22/11/2018 | 14h01Atualizada em 22/11/2018 | 14h01

Exposição com nudez na Câmara cria impasse com a prefeitura de Caxias do Sul

Obras de Rafael Dambros de homens e mulheres em nu frontal seguem apresentadas no espaço cultural do Legislativo

Exposição com nudez na Câmara cria impasse com a prefeitura de Caxias do Sul Juli Hoff/Divulgação
Foto: Juli Hoff / Divulgação

A exposição Santificados , do artista caxiense Rafael Dambros, que está desde sexta-feira no Espaço Cultural Mário Crosa, da Câmara de Vereadores, permanecerá no espaço  até a data prevista, 30 de novembro. A confirmação é do presidente do Legislativo, Alberto Meneguzzi (PSB). Desde terça-feira à noite, a mostra com 20 obras do artista caxiense Rafael Dambros tem sido alvo de fortes críticas com a justificativa de que os trabalhos apresentam nus frontais.

Leia mais:
Mirante: exposição polêmica vira palco para disputa política
Prefeitura de Caxias proíbe visitação de escolas à Câmara de Vereadores por conta de exposição com nudez

A polêmica tomou proporção maior após uma visita sem agendamento de estudantes do 4º ano da Escola Municipal de Ensino Fundamental Professor Nandi. Na terça-feira à noite, às 22h40min, o prefeito Daniel Guerra (PRB) informou por nota da assessoria da imprensa a suspensão das visitas de escolas da rede municipal de ensino à Câmara.

Segundo Meneguzzi, as relações públicas do Legislativo alertaram as professoras que havia uma exposição com nu frontal. Elas decidiram seguir a visita, mas não foram até o local da exposição. Nessa semana, três turmas do Colégio La Salle Carmo, que é particular, visitaram o Legislativo, e os professores decidiram não levar os estudantes até a mostra.

A nota da prefeitura diz que a decisão foi tomada após a Secretaria Municipal da Educação (Smed) receber reclamações de alguns pais de estudantes.

“Nosso repúdio é em relação ao ato de submeter as crianças a uma mostra não adequada para a idade delas. Tivemos estudantes de nove, 10 anos, expostos a isso, e nos causa estranheza, inclusive, a falta de zelo da Câmara de Vereadores. Apenas exerceremos o dever que temos de preservar nossos estudantes”, diz Guerra na nota.

Diferente do que diz a prefeitura, uma fonte da comunidade escolar da Professor Nandi nega que os estudantes tenham tido acesso à exposição.

A assessoria de imprensa da Smed informa que não recebeu nenhuma reclamação formal dos pais dos alunos, e que tomou conhecimento do assunto por meio de um vídeo que circula no WhatsApp e de reclamações no Facebook.

Na sessão de ontem da Câmara, Meneguzzi reagiu fortemente às criticas do vereador Renato Nunes (PR). O presidente garantiu que não irá censurar nenhuma exposição e considerou a nota de Guerra de “indecente”.

– Enquanto eu for presidente, a democracia está garantida. Quem quiser expor aqui  vai expor. Não serei censor de obra, não serei censor de cultura.

As imagens das telas têm inspiração na iconografia católica, nos traços e nas ideias de Michelangelo. Utiliza técnicas de pintura e traços, com base em caneta esferográfica. 

"Prefeito não tem esse poder"

Para a professora de Pedagogia da UCS, Lezilda Maria Teixeira, as várias formas de arte tem entre suas funções causar impacto no público, e pode ser feito inclusive com trabalhos que expõe a nudez e expressões de afeto. Segundo ela, o professor tem capacidade de apresentar as reflexões necessárias para o entendimento dos estudantes.

Lezilda observa que o papel pedagógico dessa exposição é promover o pensamento dos motivos que levam algumas pessoas, por exemplo, a não gostarem de ver beijo, de não ver a genitália do outro ou a sua própria. 

– Essas discussões todas são educativas. Elas não devem ser proibidas. O papel do professor é preparar a visita e tornar um momento de aprendizagem. Ele (prefeito) não é o dono da escola. O prefeito não tem esse poder. Os professores são autoridades de o que ensinar e qual a metodologia a ser usada – destaca a professora. 

O QUE DIZ O AUTOR

Rafael Dambros, autor das obras, diz que as telas são resultados de quatro anos de pesquisa e já tinham sido expostas para estudantes em seu atelier na cidade e em galerias de Porto Alegre, sem nunca ter gerado manifestações contrárias. 

"Não foi apresentada (a exposição) no (Centro Municipal de Cultura Dr. Henrique) Ordovás por conta de um suposto problema técnico. Todas as ações foram realizadas, menos essa exposição. A nudez feminina sempre foi usada como objeto de decoração, mas a nudez masculina é um problema. Quando se trabalha com o nu nas artes tu vai esbarrar no conservadorismo."

Foto: Arte Pioneiro

Leia também:
Escolas de Caxias e região receberam melhorias, mas a demanda ainda é grande
"O governo manda dinheiro e as escolas não sabem usar", diz coordenadora da educação

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros