Nove urnas foram substituídas durante a manhã de votação em Caxias - Política - Pioneiro

Versão mobile

 

Eleições 201828/10/2018 | 12h50Atualizada em 28/10/2018 | 12h51

Nove urnas foram substituídas durante a manhã de votação em Caxias

Uma confusão foi registrada, mas não houve flagrante de boca de urna

Nove urnas foram substituídas durante a manhã de votação em Caxias Diogo Sallaberry/Agencia RBS
Foto: Diogo Sallaberry / Agencia RBS

A manhã de votação encerrou com nove urnas substituídas em Caxias do Sul, segundo apuração do Cartório Eleitoral. Apenas uma confusão foi registrada na Escola Irmão Guerini, em Ana Rech, mas sem registro de flagrante por boca de urna. 

— O relato é que há uma tranquilidade e rapidez na votação. Reforçamos o pedido de que o eleitor vote com calma, esperando que apareça a foto do candidato — aconselha o chefe da Zona Eleitoral 169, Edson Borowski. 

Conforme Borowski, a confusão em Ana Rech ocorreu entre fiscais e eleitores:

— Não houve evidência concreta de boca de urna. Foi um caso isolado. Os denunciantes foram identificados pela Brigada Militar e foi feita a ocorrência, Ao longo da semana o Ministério Público fará a análise do caso— explica. 

Leia mais
Início da votação em Caxias tem grande movimento e duas urnas trocadas
Eleições 2018: como justificar ausência no segundo turno

Em relação à biometria, o chefe da Zona Eleitoral afirma que há mais de 80% das seções com o funcionamento eficiente do reconhecimento da digital. 

— Vale ressaltar que nenhum eleitor deixará de votar se não tiver a digital reconhecida. Por isso, é fundamental que se leve o documento com foto — reforça Borowski.

POUCAS FILAS

A manhã de segundo turno das eleições presidenciais e para o governo do Estado não registrou filas expressivas nos locais de votação visitados pela reportagem do Pioneiro. 

Por volta das 10h, a movimentação era tranquila no Instituto Cristóvão de Mendoza, no bairro Cinquentenário. O local abriga 19 seções eleitorais. 

O morador do bairro Cinquentenário II Noe Nunes de Oliveira, 76 anos, fez questão de exercer seu direito:

— Não tem idade para votar. Tem que vir, sim. Senão como vou poder reclamar depois? — questionou 

No Colégio Madre Imilda, onde há 12 seções, não havia filas por volta de 10h30min. 

— Estamos num país de democracia. É importante exercer esse direito — reforçou o engenheiro Fernandes Lucena, 78 anos, que havia acabado de sair da urna.

Já na Casa da Cultura, no Centro, havia movimentação de pessoas mais acentuada em pelo menos uma das seções, no mesmo horário. A expectativa é que a partir das 14h haja mais procura para a votação.

Chamou a atenção também que em nenhum dos locais visitados pelo Pioneiro, havia santinhos espalhados pelo chão.

Leia também
VÍDEO: jipeiros ficam presos na correnteza e são resgatados de helicóptero no Rio Tainhas

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros