PSTU registra no TSE candidatura de Vera Lúcia a presidente - Política - Pioneiro

Versão mobile

 

Eleições 201808/08/2018 | 19h24Atualizada em 08/08/2018 | 19h24

PSTU registra no TSE candidatura de Vera Lúcia a presidente

Primeiro registro foi de Guilherme Boulos, do PSOL

PSTU registra no TSE candidatura de Vera Lúcia a presidente Romerito Pontes/Divulgação
Foto: Romerito Pontes / Divulgação
Agência Brasil
Agência Brasil

A candidata à Presidência pelo PSTU, Vera Lúcia, foi a segunda a registrar sua candidatura no Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Apenas ela e o candidato do PSOL, Guilherme Boulos, entraram com o pedido de registro até o momento.

O PSTU não formou coligações para a corrida presidencial e a chapa tem como candidato a vice o professor Hertz Dias, também filiado à legenda.

Leia mais
"Só uma revolução socialista é capaz de resolver os problemas desde a sua causa", defende candidata do PSTU à Presidência

Criada em Aracaju, Vera Lúcia tem 50 anos e é apresentada pelo partido como operária sapateira e ativista do movimento sindical. Ela é formada em Ciências Sociais pela Universidade Federal de Sergipe.

Em sua declaração de bens, Vera Lúcia disse ter apenas um terreno avaliado em R$ 20 mil. Ela se declarou "preta" no campo "cor/raça" do registro de candidatura e como ocupação informou ser professora de ensino médio. Hertz Dias disse ter uma casa no valor de R$ 100 mil.

O PSTU aprovou a chapa pura em convenção nacional realizada em 20 de julho, em São Paulo. Na ocasião, o partido apresentou seu plano de governo, que conclama o povo pobre a realizar uma "rebelião contra esse sistema que explora e oprime a classe trabalhadora". Entre as propostas, está a de estatizar as 100 maiores empresas do país.

Os 13 candidatos à Presidência aprovados em convenção nacional de seus partidos têm até 15 de agosto, às 19h, para pedir o registro de suas candidaturas. Após esse prazo, os registros podem ser alvo de impugnação por parte do Ministério Público Eleitoral, de outros candidatos, partidos e coligações, caso identifiquem alguma irregularidade. Caberá a um ministro do TSE analisar os argumentos e decidir se o candidato poderá disputar as eleições.

Leia também
Lei que altera imagem de identificação de idosos em placas entra em vigor em Caxias
Sancionada lei que cria mercado de pulgas em Caxias
Mirante: vereador Rafael Bueno questiona falta de posição de Edson da Rosa sobre fala de Mourão

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros