Paulo Rabello, candidato a presidente pelo PSC, diz que seria simpático ter mulher como vice - Política - Pioneiro

Versão mobile

 

Eleições 201822/07/2018 | 16h36Atualizada em 22/08/2018 | 11h46

Paulo Rabello, candidato a presidente pelo PSC, diz que seria simpático ter mulher como vice

Ex-presidente do BNDES é candidato à Presidência

Paulo Rabello, candidato a presidente pelo PSC, diz que seria simpático ter mulher como vice Antonio Cruz/Agência Brasil
Foto: Antonio Cruz / Agência Brasil
Agência Brasil
Agência Brasil

Com a participação de pouco mais de 50 convencionais, o Partido Social Cristão (PSC) confirmou, por aclamação, na sexta-feira, durante a convenção nacional do partido, em Brasília, a candidatura do economista e ex-presidente do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) e do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) Paulo Rabello de Castro à Presidência da República.

Leia mais
Vice na chapa de Ciro Gomes será escolhido pela Executiva do PDT

Ainda sem um nome para vice definido, Rabello disse que seria simpático a ter uma mulher na chapa, mas que não há nada nesse sentido sendo conversado, que o nome do vice está em análise com outros partidos e deve ser definido até o dia 5 de agosto.

Propostas

Estreante na disputa por um cargo eletivo, Rabello não revelou quanto pretende gastar em sua campanha. Em seu discurso, ele disse que, se eleito, ao final de dois anos do mandato, aproveitará as eleições municipais para fazer o que chamou de recall de seu mandato e que caso seja reprovado pela população, ele o vice deixarão o governo. Também prometeu acabar com o déficit primário do país no primeiro ano de governo e, que, enquanto isso não acontecer, abrirá mão do salário de presidente da República.

Paulo Rabello também defendeu uma "revisão completa da Constituição Federal", mas, para isso, descartou a convocação de uma Assembleia Nacional Constituinte. Defensor da "família tradicional brasileira", o presidenciável autor de um programa com 20 metas prometeu triplicar os investimentos na área de infraestrutura.

O candidato à Presidência da República pelo PSC também garantiu que vai manter programas como o Bolsa Família, mas, sem dar detalhes, disse que pretende fazer com que os brasileiros não precisem mais desse tipo de assistência por meio da geração de 1 milhão de empregos. As vagas, explicou, seriam criadas com apoio de centros de educação do trabalho e emprego.

Alianças

Questionado sobre alianças, o presidente da sigla, Pastor Everaldo, disse que tem conversado com alguns partidos, entre eles o PRTB, presidido por Levy Fidélix, que participou da convenção. Assim como foi em 2014, o líder do PSC disse que se não encontrar outra sigla com propostas afinadas com as da legenda, pode repetir a experiência de uma chapa puro-sangue.

Leia também
PMN decide não ter candidato à Presidência nem fazer alianças
PSTU confirma candidatura de Vera Lúcia e não fará coligação
Avante não terá candidato próprio na disputa à Presidência

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros