Ex-governador diz que não tem motivação para concorrer - Política - Pioneiro

Versão mobile

 

Mirante23/07/2018 | 13h50Atualizada em 22/08/2018 | 11h43

Ex-governador diz que não tem motivação para concorrer

Rigotto avalia que processo de construção de aliança para reeleição de Sartori avançou demais e agora ele sairia desestruturado ao Senado

Ex-governador diz que não tem motivação para concorrer Natanael Engel/Divulgação
Ex-governador Rigotto projeta que renovação do Congresso nas eleições deste ano não passe de 25% Foto: Natanael Engel / Divulgação

O ex-governador Germano Rigotto (MDB) falou sobre a série de fatores que o levaram a desistir da pré-candidatura ao Senado. Ele ressaltou que a construção da coligação para garantir a reeleição de Sartori era o mais importante e que o processo avançou demais. Ou seja, com a negociação com outros partidos, sendo que uma das vagas seria do PSB, demorou demais na definição de seu nome. 

Leia mais
MDB deve se pronunciar sobre desistência de Germano Rigotto como pré-candidato ao Senado

— Não tenho como assumir a candidatura agora, pois tenho que sair do zero — disse Rigotto, destacando que os senadores Ana Amélia Lemos (PP) e Paulo Paim (PT), que vão à reeleição, e Beto Albuquerque (PSB), já estão estruturados.

Rigotto disse que há pouco mais de 10 dias conversou com o governador José Ivo Sartori, o presidente do MDB-RS, Alceu Moreira, e outras lideranças. Também lembrou que quem trabalhou com ele em 2010 — citando Cleber Benvegnú, chefe da Casa Civil —, já está envolvido com a pré-candidatura de Sartori.

— Campanha majoritária exige TV e rádio. Vou entrar atrasado, desestruturado. Se fosse um mês e meio atrás...

Crítica

Rigotto criticou a falta de uma reforma política, classificando de piada a que foi aprovada, e o fundo partidário eleitoral, que serve para garantir os atuais detentores de mandato. Ele projeta que a renovação do Congresso com as eleições deste ano não passe de 20% a 25%.

— Vai ser o primeiro problema: um Congresso novo que não vai atender à expectativa da sociedade. Quem tem mandato já tem estrutura, visibilidade e o benefício do fundo partidário. A pulverização de partidos dificulta no Congresso uma base homogênea.

E sintetizou:

— Não tenho motivação para concorrer.

Leia também
Sartori lembra que aliança com PSB começou em Caxias

PSB aprova apoio a Sartori nas eleições de outubro
Vice na chapa de Ciro Gomes será escolhido pela Executiva do PDT
PSL oficializa Bolsonaro como candidato à Presidência

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros