Após quase um ano, representações na Comissão de Ética da Câmara de Caxias devem ter desfecho - Política - Pioneiro

Versão mobile

 

Mirante20/07/2018 | 13h36Atualizada em 20/07/2018 | 13h36

Após quase um ano, representações na Comissão de Ética da Câmara de Caxias devem ter desfecho

Processos protocolados em agosto e setembro de 2017 por Rafael Bueno e Renato Nunes devem resultar em advertência 

Após quase um ano, representações na Comissão de Ética da Câmara de Caxias devem ter desfecho Divulgação/
Rafael Bueno (PDT) e Renato Nunes (PR) protagonizam as representações em análise Foto: Divulgação

Duas representações que se encontram na Comissão de Ética Parlamentar do Legislativo caxiense desde o ano passado, tendo como protagonistas Rafael Bueno (PDT) e Renato Nunes (PR), devem finalmente ter um desfecho. Nunes protocolou em setembro de 2017 representação contra Bueno por prática de crime de discriminação e intolerância religiosa, abuso das atribuições parlamentares, abuso de poder, difamação e calúnia.

Leia mais
Novo round entre os vereadores caxienses Rafael Bueno e Renato Nunes está a caminho
Nova ação é protocolada à Comissão de Ética envolvendo vereadores de Caxias
Líder do governo de Caxias ganha mais prazo na Subcomissão de Ética no Legislativo

O argumento foi de que o pedetista ridiculariza questões de sua opção religiosa, saindo do âmbito político. Paulo Périco (MDB) é o relator e seu parecer prevê advertência por escrito a Bueno, o que será encaminhado à comissão,  que irá decidir se acata.

O outro caso, que é de Bueno contra Nunes, foi protocolado em agosto do ano passado, com a acusação de assédio moral dentro do elevador da Câmara, além de ofensas proferidas em plenário pelo assessor de Nunes. O relator é Edi Carlos Pereira de Souza (PSB). O parecer deve ser elaborado no início da próxima semana. A tendência também é de uma advertência.

Como mudaram alguns membros da Comissão de Ética em 2018, neste ano o grupo é presidido justamente por Nunes. Por certo, vai se declarar impedido.

Conforme Périco, a demora para os encaminhamentos deve-se à discussão sobre o processo de impeachment do prefeito e do Plano Diretor neste ano.

Também está em análise a representação encaminhada por Bueno contra o líder de governo Chico Guerra (PRB) sobre o áudio em que ele sugere represália ao presidente da Amob Cânyon, Marciano Correa da Silva. Quando Chico Guerra encaminhou a defesa por escrito à Subcomissão de Ética, em 27 de junho, lembrou que existem dois processos tramitando desde 2017 e que ainda não foram julgados. Disse que, por lógica, cronologia e imparcialidade, devem ser examinados antes do seu.

Leia também  
Prefeitura adia discussão sobre plantão pediátrico no Conselho de Saúde de Caxias
Clima tenso na Câmara de Vereadores de Caxias entre governista e presidente da Casa

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros