Pré-candidato do PSDB ao Piratini, Eduardo Leite cumpre agenda na Serra - Política - Pioneiro

Versão mobile

 

Mirante07/06/2018 | 21h11Atualizada em 07/06/2018 | 21h11

Pré-candidato do PSDB ao Piratini, Eduardo Leite cumpre agenda na Serra

Ao lado do pré-candidato Ranolfo Vieira Júnior (PTB), ele esteve em Caxias nesta quinta-feira

Pré-candidato do PSDB ao Piratini, Eduardo Leite cumpre agenda na Serra Porthus Junior/Agencia RBS
Eduardo Leite e Ranolfo Vieira Júnior Foto: Porthus Junior / Agencia RBS

O pré-candidato ao governo do Estado pelo PSDB, Eduardo Leite, cumpre roteiro em Gramado e Caxias do Sul ao lado do pré-candidato a vice, o petebista Ranolfo Vieira Júnior. Em visita ao Pioneiro com os pré-candidatos a deputado Paula Ioris (PSDB) para federal e Adiló Didomenico (PTB) para estadual, o tucano acredita que em breve terá novos anúncios de partidos que se integrem à coligação. E não descarta o PSD do vice-governador José Paulo Cairoli. 

— O deputado Danrlei (Hinterholz) é um defensor que a coligação seja fechada conosco. Como há esse cenário de fragmentação, os partidos do nosso campo estão conversando entre si, ou seja, com a candidatura do (José Ivo) Sartori (MDB), do (Luis Carlos) Heinze (PP) e com a nossa.

No entendimento do pré-candidato ao governo, nesta eleição não cabe falar em terceira via, porque nem sequer tem duas primeiras.

— Pela primeira vez, o PT não vem com Olívio (Dutra) nem Tarso (Genro). E do outro lado, o MDB, que tem o governo hoje e com alto nível de rejeição, o que limita nas pesquisas o alcance do atual governador — avalia. 

Embora o PSDB integrasse o governo Sartori, o pré-candidato não economiza ao falar da rejeição do provável adversário, que transita no mesmo eleitorado.

— Não estou desprezando, mas como governador que é, conhecido por 98% da população, estar em situação de empate técnico com os outros todos que são bem menos conhecidos do que ele, é uma situação frágil. 

Afinidades 

Sobre a união de PSDB e PTB, Leite disse que entenderam ter afinidades no projeto para o Estado. Ele destacou a segurança pública, a visão do papel do Estado, as reformas estruturantes para recolocar o Rio Grande do Sul em condições de competitividade no cenário nacional, parcerias com a iniciativa privada para investimento na infraestrutura, redução da burocracia para agilizar investimento no Estado e redução de carga tributária a partir da diminuição do custo da própria máquina. 

As duas vagas para o Senado estão em aberto para outros partidos que possam integrar a coligação. 

Leite e Ranolfo estiveram nos hospitais Pompéia e Geral, CDL, Sindilojas e UCS.

 CAXIAS DO SUL, RS, BRASIL, 07/06/2018. Eduardo Leite (PSDB), pré-candidato a governador do RS, e Ranolfo Vieira Júnior (PTB), pré-candidato a vice, em visita ao Jornal Pioneiro. (Porthus Junior/Agência RBS)
Ranolfo e Leite acompanhados dos vereadores Paula Ioris (PSDB) e Adiló Didomenico (PTB) Foto: Porthus Junior / Agencia RBS

Privatizações

Em relação às privatizações da CEEE, Sulgás e CRM, Eduardo Leite disse que é a favor para alavancar um novo projeto de desenvolvimento. Porém, na votação desta semana, o PSDB, do qual Leite é presidente estadual, ajudou a rejeitar a mudança do prazo para realização de plebiscito.

A justificativa do tucano é de que seria feito às pressas, em um ambiente tumultuado politicamente e liderado por um governo com alta rejeição, que transferiria sua rejeição ao plebiscito, ou seja, à tese da privatização.  

— Acho que esse tema tem que ser discutido à parte, liderado por um governo forte, no início do seu mandato, e não no final, no apagar das luzes.

Leia também
Novo vereador assume na Câmara de Caxias do Sul na terça-feira
Vereador Chico Guerra comprova ameaças de presidente da Amob Cânyon
União das Associações de Bairros de Caxias pede a cassação do vereador Chico Guerra
Prefeito de Caxias do Sul nega retaliação a presidente da Amob Cânyon 

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros