Plano Diretor de Bento Gonçalves é aprovado sem a emenda polêmica - Política - Pioneiro

Versão mobile

 

Planejamento18/06/2018 | 20h42Atualizada em 19/06/2018 | 13h37

Plano Diretor de Bento Gonçalves é aprovado sem a emenda polêmica

Vereadores retiraram a proposta sob suspeita que é investigada pela Operação 165 do Ministério Púbico

Plano Diretor de Bento Gonçalves é aprovado sem a emenda polêmica Câmara de Vereadores de Bento Gonçalves/Divulgação
Foto: Câmara de Vereadores de Bento Gonçalves / Divulgação
Pioneiro

Sob suspeita de corrupção, a revisão do Plano Diretor de  Bento Gonçalves foi aprovada na tarde de ontem por 12  votos favoráveis, três contrários e uma abstenção. O documento que prevê o planejamento e desenvolvimento do município recebeu manifestações de apenas oito dos 17  vereadores durante 18 minutos, antes de ir a votação. O projeto de lei complementar foi protocolado pelo Executivo em outubro do ano passado.

Leia mais:
Ministério Público investigará Plano Diretor
CPI é suspensa em Bento Gonçalves

Antes da votação do projeto do Executivo, os vereadores votaram 33 emendas durante mais de uma hora e meia – 18 foram aprovadas e 15, rejeitadas. A emenda 165 foi retirada da pauta de votação. Ela propunha a alteração da altura dos prédios de dois para seis pavimentos em duas vias no bairro São Bento, podendo ter ainda mais dois pavimentos. O documento era assinado por seis vereadores.

A emenda 165 é alvo de denúncia e investigação do Ministério Público (MP). No ano passado, a prefeitura pediu o arquivamento do projeto para diminuir a polêmica em torno da ampliação da altura de prédios na Rua Herny Hugo Dreher e Avenida Planalto, no bairro São Bento, vias popularmente conhecidas como “Corredor Gastronômico”.

Em uma gravação do início de abril, o vereador Gustavo Sperotto (DEM) contou a moradores da cidade que teria recusado a oferta de R$ 40 mil para assinar a emenda 165 do Plano Diretor, mas que outros seis vereadores teriam recebido propina para votar a favor de interesses da construção civil. No áudio, Sperotto não revela o nome dos vereadores. No dia 14 de maio, o Ministério Público (MP) instaurou um inquérito civil público de improbidade administrativa para investigar suposta corrupção em torno de emenda ao Plano Diretor.

No início deste mês, o Grupo de Atuação Especial de  Combate ao Crime Organizado (Gaeco) do MP realizou a Operação 165 (nome referente ao número da emenda) e cumpriu mandados de busca e apreensão em gabinetes de quatro vereadores e nas casas de quatro parlamentares.

A investigação do Ministério Público está sob sigilo, e os nomes dos  vereadores que tiveram seus gabinetes alvos dos mandados não foram revelados nem pelo Ministério Público, nem pela Câmara de Bento. 

A revisão do Plano Diretor esteve a cargo da Universidade  Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) e custou mais de  R$ 185 mil aos cofres do poder público municipal.

“Respeitaram a opinião do Complan”

A diretora adjunta do Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano de Bento Gonçalves (Ipurb) e presidente do Conselho Municipal de Planejamento (Complan), Melissa Bertoletti  Gauer, ficou satisfeita com o resultado da votação.

– Os vereadores votaram com o parecer e respeitaram a opinião do Complan.

Para Melissa, além da retirada da polêmica emenda 165, os vereadores também retiraram da pauta a emenda que alterava o Complan, transformando-o de órgão deliberativo para consultivo. 

Além disso, a maioria das emendas que alteravam o perímetro urbano da cidade e do Vale dos Vinhedos ou foram retiradas da votação ou rejeitadas.

A diretora do Ipurb também comemorou a aprovação da emenda 180, que trata da alteração da altura de dois para seis pavimentos nas ruas Parnaíba e Salgado Filho, no bairro São Bento. 

– Chamamos de emenda de consenso. O Executivo, alguns vereadores e alguns moradores do São Bento chegaram a um consenso sobre a altura. A proposta do Complan era de até 16 pavimentos e chegamos na transição de seis pavimentos.

Foto:

Leia também:
Estabelecimentos de Bento saem de guia que oferece descontos a consumidores
Mulher morre atropelada na BR-470, em Bento Gonçalves
Assaltante Papagaio é investigado por ataque a carro-forte três meses depois de fugir do semiaberto

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros