Sindiserv repudia assédio moral a servidores da prefeitura de Caxias - Política - Pioneiro

Versão mobile

 

Mirante28/05/2018 | 13h53Atualizada em 28/05/2018 | 13h53

Sindiserv repudia assédio moral a servidores da prefeitura de Caxias

Manifestação deve-se à ameaça feita pelo prefeito Daniel Guerra (PRB) na visita ao Postão, na semana passada, em defesa da gestão compartilhada

Sindiserv repudia assédio moral a servidores da prefeitura de Caxias Juliana Bevilaqua/Agência RBS
Visita do prefeito com novos conselheiros de Saúde teve situações de constrangimento Foto: Juliana Bevilaqua / Agência RBS

O Sindicato dos Servidores Municipais (Sindiserv) de Caxias entende que a resposta do prefeito Daniel Guerra (PRB) a um servidor na visita ao Postão 24 Horas, terça-feira passada, reflete assédio moral. A entidade repudia a manifestação. Guerra disse que demitiu servidores e pode abrir novas sindicâncias, se necessário. O fato ocorreu durante o tour promovido pelo prefeito na tentativa de convencer o novo Conselho Municipal de Saúde a aprovar o projeto de gestão compartilhada do Postão. Também houve visita à UPA Zona Norte.

Leia mais
Tour do prefeito de Caxias com conselheiros de Saúde à UPA e ao Postão é visto como "espetacularização"
Prefeito de Caxias faz ação de marketing  por apoio à gestão compartilhada do Postão 24 Horas
Prefeito de Caxias do Sul leva conselheiros da Saúde para visitar UPA e Postão 

Na ocasião, o servidor e um dos novos conselheiros de Saúde, Gilberto de Oliveira Freitas, representante do Conselho Regional de Enfermagem, disse que nunca houve tanta falta de material para o serviço.

O Sindiserv diz que não é a primeira vez que o gestor utiliza-se do cargo para coibir denúncias ou manifestações por melhores condições. O vice-presidente do Sindiserv, Rui Miguel, lembra que em março do ano passado, Guerra expôs um médico ao publicar um vídeo nas redes sociais cobrando a presença por ter se ausentado em protesto pelas condições de trabalho. 

— Isso indica que esta é uma prática comum desta administração — diz Rui Miguel.

A presidente Silvana Piroli ressalta que a administração precisa desenvolver um espaço de coexistência e não ameaçador. 

— Para abrir uma sindicância, precisa ter com motivo baseado na legislação. Qualquer ação arbitrária será firmemente combatida pelo sindicato.

Orientação

O diretor de Relações de Trabalho, Diames Rogério de Souza Silva, reforça que a entidade orienta que os servidores que se sentirem assediados ou ameaçados façam denúncias formais para que a entidade tome providências.

O Sindiserv não informou se tomará alguma medida concreta diante do ocorrido.

Ainda de acordo com informações enviadas ao Mirante pelo sindicato, segundo o gerente interino do Ministério do Trabalho e Emprego, Vanius Corte, "a ameaça generalizada, sem apontamento de um motivo concreto, apenas como forma de constranger os servidores a não denunciarem as condições de trabalho, caracteriza assédio moral".

Leia também
Aulas canceladas e frota reduzida: tudo o que você precisa saber para esta segunda em Caxias
Caxias do Sul decreta situação de emergência
PT de Caxias faz ato de lançamento da pré-candidatura de Lula

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros