Governador designa grupo para negociar aliança com partidos para as eleições - Política - Pioneiro

Versão mobile

 

Mirante01/05/2018 | 08h00Atualizada em 01/05/2018 | 08h05

Governador designa grupo para negociar aliança com partidos para as eleições

A previsão é de que até o final deste mês esteja definida

Governador designa grupo para negociar aliança com partidos para as eleições Luiz Chaves/Palácio Piratini/Divulgação
Nomes próximos de Sartori trabalham pela composição, entre eles o ex-secretário no governo do Estado e na prefeitura, Carlos Búrigo Foto: Luiz Chaves / Palácio Piratini/Divulgação

O governador José Ivo Sartori (PMDB) ainda não disse se concorre ou não à reeleição, o que deve ocorrer em julho, mas há cerca de duas semanas designou nomes para negociar as composições partidárias para a eleição. As conversas preliminares foram feitas por ele.

Integram o grupo, o ex-secretário de Planejamento, Governança e Gestão, Carlos Búrigo; o secretário de Segurança Pública, Cezar Schirmer; o secretário-chefe da Casa Civil, Cleber Benvegnú; e o deputado estadual Fábio Branco.

Leia mais:
João Amoêdo: "O discurso das pessoas está coerente com as práticas? No caso do Novo, 100%"

Além desses, participam das tratativas, definidos pelo PMDB, o presidente estadual Alceu Moreira, o tesoureiro Luís Roberto Ponte e o ex-deputado estadual Ibsen Pinheiro. A medida do governador, óbvio, sinaliza para a sua presença na disputa por mais quatro anos no Piratini.

Búrigo, que é o pré-candidato a deputado estadual pelo PMDB de Caxias, diz que está bem encaminhada a negociação com o PSB e o PSD. Já está praticamente acertada a aliança. A tendência é de que José Paulo Cairoli continue como vice na chapa de Sartori. 

— O objetivo é compor primeiro com os partidos que estavam conosco no primeiro turno de 2014 e buscar outros para a manutenção do projeto já no primeiro turno — diz Búrigo.

A coligação em 2014 foi formada por PMDB, PSD, PPS, PSB, PHS, PTdoB (hoje Avante), PSL, PSDC.

Estão em andamento conversas com PTB, PPS, PR e SD. 

Para o Senado, uma vaga será do PSB. O partido tem dois pré-candidatos, o ex-prefeito de Porto Alegre, José Fortunati, e o ex-deputado federal Beto Albuquerque. Beto é o mais provável para a vaga. O ex-governador Germano Rigotto (PMDB) seria o outro nome.

— Rigotto é uma grande possibilidade, é um bom nome, mas se precisar compor, ele está aberto a conversar — declara Búrigo.

A previsão é de que até o final deste mês esteja fechada a construção da aliança.

Leia também
Em acampamento pró-Lula, presidente do Sindicato dos Jornalistas do RS dificulta trabalho da imprensa 
Adversários, prefeito de Caxias e ex-prefeito estão em meio a decisões desfavoráveis
Meio ano após iniciar ocupação da Maesa, prefeitura de Caxias ainda define o que fará nos demais espaços

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros