Votação do parecer pelo arquivamento do impeachment do prefeito de Caxias ainda não tem data  - Política - Pioneiro

Versão mobile

 

Fase final11/04/2018 | 21h03Atualizada em 11/04/2018 | 21h03

Votação do parecer pelo arquivamento do impeachment do prefeito de Caxias ainda não tem data 

Não deve haver tempo hábil para deliberação sobre relatório final pelos 23 vereadores esta semana

Votação do parecer pelo arquivamento do impeachment do prefeito de Caxias ainda não tem data  Felipe Nyland/Agencia RBS
Foto: Felipe Nyland / Agencia RBS
Pioneiro
Pioneiro

Ainda não há data para a sessão que irá analisar o parecer da Comissão Processante pelo arquivamento do pedido de impeachment do prefeito de Caxias do Sul. A Presidência da Câmara ainda não deliberou. A tendência é de que fique para a próxima semana. Na terça-feira, a comissão apresentou o parecer final pela improcedência da denúncia de infrações político administrativas contra Daniel Guerra (PRB), que é embasada em sete tópicos. O documento precisa passar pela análise do plenário. 

Leia mais
Sem votos para aprovar impeachment do prefeito de Caxias, improcedência da denúncia era o caminho esperado

Para que o prefeito seja afastado, é necessário que o relatório da Comissão Processante seja rejeitado por 2/3 dos 23 vereadores, ou 16 deles. No entanto, Guerra já conta com os votos pela aprovação do parecer dos governistas Chico Guerra (PRB) e Renato Nunes (PR) e dos vereadores Arlindo Bandeira (PP) e Neri, o Carteiro (SD). Nas últimas semanas, PCdoB, PT e PSD — respectivamente as bancadas compostas por Renato Oliveira; Denise Pessôa e Rodrigo Beltrão; e Kiko Girardi — manifestaram-se, por nota, contra o impeachment. 

Na sessão desta quarta-feira, Edi Carlos (PSB) anunciou que votará favorável ao parecer, ou seja, pela improcedência da denúncia. A esse contingente de nove votos, é razoável acrescentar os dos três integrantes da comissão, que decidiram pela improcedência da denúncia. São eles o presidente Edson da Rosa (PMDB), o relator Edio Elói Frizzo (PSB) e o revisor Velocino Uez (PDT). Essa contabilidade eleva para 12 o número de votos pela aprovação do relatório, número mais do que suficiente para afastar a possibilidade de impeachment do prefeito Guerra.

— Penso que esse processo ocorreu por causa da falta de diálogo do prefeito. Pelo menos, agora, está conversando com alguns vereadores, mas tem de dialogar mais com toda a comunidade. No momento oportuno, estarei votando junto com (o encaminhamento) da Comissão Processante — disse Edi Carlos, durante pronunciamento na sessão. 

O pedido de impeachment contou com a assinatura de 29 pessoas.

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros