Vereadora explica que comissão não está envolvida na defesa de homem que confessou assassinato de Naiara, em Caxias - Política - Pioneiro

Versão mobile

 

Direitos Humanos22/03/2018 | 12h42Atualizada em 22/03/2018 | 13h14

Vereadora explica que comissão não está envolvida na defesa de homem que confessou assassinato de Naiara, em Caxias

Boatos e informações falsas têm marcado o Caso Naiara desde o desaparecimento da menina

Vereadora explica que comissão não está envolvida na defesa de homem que confessou assassinato de Naiara, em Caxias Franciele Masochi/Assessoria de Imprensa
Vereadora Denise Pessôa comenta morte de menina Naiara em sessão da Câmara de Vereadores de Caxias Foto: Franciele Masochi / Assessoria de Imprensa

Um áudio tem circulado nas redes sociais e aplicativos de mensagem apontando que integrantes da Comissão de Direitos Humanos da Câmara de Vereadores de Caxias do Sul estiveram na Central de Polícia da cidade na tarde desta quarta-feira para prestar solidariedade ao homem que confessou o estupro e a morte da menina Naiara Soares Gomes, sete anos. É mais um boato sobre o Caso Naiara. No áudio, um homem afirma que o preso estaria em uma cela especial a pedido da comissão, e que a informação teria partido da reportagem de uma emissora de rádio da cidade. 

Em vídeo ao vivo nas redes sociais, a presidente da Comissão de Direitos Humanos da Câmara, a vereadora Denise Pessôa (PT), esclarece que ela não esteve na Central de Polícia e também não atuou na defesa do preso. Ela ressalta ainda que a comissão tem prestado solidariedade à família de Naiara, desde o desaparecimento da criança. Informou ainda que foram impressos cartazes para auxiliar nas buscas e que também receberam a família no último dia 16, na Câmara para conversar sobre o caso. O encontro contou com a presença da deputada federal Maria do Rosário (PT).  Ao Pioneiro, a vereadora contou que tem recebido ligações e mensagens com hostilidades:

— Comecei a receber ligações nesta quarta ainda e decidi fazer uma transmissão ao vivo (pelo Facebook) para esclarecer que nenhum integrante da Comissão de Direitos Humanos esteve na delegacia. As mensagens são hostis e preocupantes e quero deixar bem claro que não estive na delegacia e esse áudio que tem circulado não é verdade. 

Em discurso na sessão da Câmara de Vereadores na manhã desta quinta-feira, Denise emocionou-se e destacou que como representante não apenas dos Direitos Humanos, mas da sociedade, é preciso refletir sobre a realidade vivida pela menina Naiara.

— Precisamos refletir sobre onde a gente falhou, porque a Naiara não desapareceu no dia 9. Ela já vinha desaparecendo há muito tempo, quando vários dos seus direitos não eram garantidos, e na verdade agora que ela apareceu. E é muito triste essa realidade — destaca. 


 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros