"Precisamos da ajuda dos nobres pares", pede vereador da base do governo Daniel Guerra - Política - Pioneiro

Versão mobile

 

Mirante21/02/2018 | 17h06Atualizada em 21/02/2018 | 17h13

"Precisamos da ajuda dos nobres pares", pede vereador da base do governo Daniel Guerra

Renato Nunes (PR) mudou o tom do discurso diante da ameaça de impeachment do prefeito e reconheceu experiência de opositores na Câmara

"Precisamos da ajuda dos nobres pares", pede vereador da base do governo Daniel Guerra Vitória Bordin/Divulgação
Renato Nunes disse que muitos secretários podem ter currículo, mas não têm a experiência que os vereadores de oposição tiveram Foto: Vitória Bordin / Divulgação

Depois que os vídeos em que tenta buscar o voto de vereadores contra o impeachment do prefeito Daniel Guerra (PRB) acabaram provocando reação contrária na Câmara, o governista Renato Nunes (PR) resolveu amaciar o discurso. Na sessão desta quarta-feira, fez elogios a opositores pelo conhecimento em áreas em que atuaram como secretários de governos passados ou em subprefeituras. Até o vereador Elói Frizzo (PSB), relator do processo de impeachment de Guerra, que deu parecer pelo prosseguimento da denúncia, obteve o reconhecimento de Nunes. 

Leia mais
Pressão pelo voto contra o impeachment do prefeito de Caxias reverte-se em mal-estar na Câmara
Vereador publica vídeos pedindo apoio contra impeachment do prefeito de Caxias

— Eu reconheço, vereador Adiló (Didomenico, PTB), a experiência que o senhor teve e o conhecimento que o senhor tem por todo o tempo que o senhor trabalhou na Secretaria de Obras, na Codeca também. O vereador Frizzo, o conhecimento que ele tem do Samae. Eu até me arrisco a dizer que em Caxias do Sul não tem outra criatura, outra pessoa, que conheça mais o Samae do que o Frizzo — discursou Nunes.

Também foram citados Edson da Rosa (PMDB), Flavio Cassina (PTB), Renato Oliveira (PCdoB), Gládis Frizzo (PMDB), Ricardo Daneluz (PDT), Felipe Gremelmaier (PMDB) e Gustavo Toigo (PDT) pela "experiência, bagagem e conhecimento". Na sequência, mencionou Velocino Uez (PDT) e Edi Carlos Pereira de Souza (PSB), este ex-presidente da Câmara.

A mudança radical de Nunes veio no dia seguinte ao pronunciamento de Rodrigo Beltrão (PT), que definiu como "psicologia infantil" sua estratégia com os vídeos em que mostra, em um cartaz, fotos dos vereadores, do vice-prefeito Ricardo Fabris de Abreu (sem partido) e do ex-prefeito Alceu Barbosa Velho (PDT). Paula Ioris (PSDB) também externou seu desconforto pela avaliação feita por Nunes. Ele disse que a tucana mancharia o mandato se votasse favorável à cassação do prefeito.

Nunes chegou a afirmar, na sessão desta quarta-feira, que muitos secretários do município não têm experiência na vida pública. 

— Tem muitos secretários hoje, eu reconheço isso, que eles podem ter o perfil, eles podem ter o currículo, eles podem ter uma experiência muito grande na iniciativa privada, por exemplo, mas eles não têm aquela experiência que os nobres pares têm ou tiveram. Eu reconheço isso — afirmou.

O aliado do prefeito disse ainda que se sente triste porque vê que os vereadores "teriam e têm toda a condição de poder ajudar e muito este governo". 

— E nós precisamos da ajuda dos nobres pares — declarou.

Mais adiante, emendou:  

— E quando eu falo a gente, eu não estou falando só o prefeito, a administração atual, eu estou falando Caxias. 

Vale lembrar que em inúmeras ocasiões, porém, o prefeito e Nunes desmereceram a gestão passada. Guerra a define como "mini-Brasília".

Para completar, o governista comprometeu-se a facilitar o trânsito dos vereadores com Guerra e secretários:

— Se depender deste vereador para marcar uma reunião, para ir lá junto com os senhores falar com o prefeito, se for o caso, para falar com um secretário, eu sou parceiro — disse Nunes.

Leia também
Saiba quem são as testemunhas de defesa no processo de impeachment do prefeito de Caxias do Sul

Processo de impeachment do prefeito de Caxias do Sul fica para a próxima semana

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros