Defesa do prefeito de Caxias do Sul pede afastamento de relator da comissão do impeachment - Política - Pioneiro
 

Processo28/02/2018 | 18h31Atualizada em 28/02/2018 | 19h42

Defesa do prefeito de Caxias do Sul pede afastamento de relator da comissão do impeachment

Advogado de Daniel Guerra (PRB) alega falta de isenção do vereador Elói Frizzo (PSB) para relatar a denúncia

Defesa do prefeito de Caxias do Sul pede afastamento de relator da comissão do impeachment Porthus Junior/Agencia RBS
Foto: Porthus Junior / Agencia RBS

A defesa do prefeito Daniel Guerra (PRB) no processo da denúncia de impeachment ingressou com um mandado de segurança da Justiça na tarde desta quarta-feira. O pedido principal é o afastamento do vereador Elói Frizzo (PSB) da relatoria e da Comissão Processante, da Câmara de Vereadores.

Leia mais:
Câmara de Caxias do Sul volta atrás e decide transmitir depoimento do prefeito Daniel Guerra
Prefeito de Caxias do Sul irá depor no dia 5 de março na Comissão Processante do impeachment

O mandado de segurança pede ainda a suspensão do processo pela falta da intimação de Guerra informando o conteúdo do relatório conclusivo confeccionado pela Comissão, decidindo pelo prosseguimento do processo de impeachment. O documento também solicita a inversão da ordem da oitiva das testemunhas, passando o prefeito a ser o último a ser ouvido e não o primeiro como determinado pela Comissão.

O advogado de Guerra, Heron Fagundes, diz que pelo histórico dos posicionamentos, Frizzo não reúne as condições mínimas de transitar como relator, nem mesmo fazendo parte da Comissão Processante.

_ Um parlamentar para ocupar esta posição, deve respeitar os princípios da imparcialidade, de impessoalidade e isenção, para não realizar ou induzir o julgamento prévio _ diz Heron.

Leia também:
Confira como foi o desempenho da indústria caxiense em 2017
Projeto que permite entrada de animais em hospitais deve ser analisado por vereadores de Bento Gonçalves

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros