Derrotado, Lula discursa para motivar militância - Política - Pioneiro

Versão mobile

 

Mirante25/01/2018 | 08h45Atualizada em 25/01/2018 | 14h08

Derrotado, Lula discursa para motivar militância

PT precisa encontrar alternativa para sua presença na disputa eleitoral, diante da decisão no TRF-4 pela condenação e aumento da pena de Lula

Derrotado, Lula discursa para motivar militância Miguel SCHINCARIOL/ AFP/
Foto: Miguel SCHINCARIOL/ AFP

E agora, PT? A derrota sofrida pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), com o resultado de 3 x 0 no julgamento do Tribunal Regional Federal (TRF4), na quarta-feira, foi pesada para petistas e aliados. Não bastasse ter sido mantida a condenação no caso do triplex do Guarujá (SP), o aumento da pena de nove anos e meio para 12 anos e um mês foi uma enxurrada de água fria nos que sonhavam com um resultado favorável a Lula.

Leia mais
Em nota, prefeito de Caxias diz que quer um Brasil livre da corrupção
Em discurso, deputado federal Pepe Vargas afirma que TRF4 rasgou a Constituição
"A democracia brasileira está em risco", afirma presidente do PCdoB de Caxias do Sul

A questão agora gira em torno da prisão do político mais conhecido no país, na atualidade, e da possibilidade de poder mesmo concorrer, como ele e o partido anunciam aos quatro ventos. Na quarta-feira, em um ato em São Paulo, o petista usava preto. Disse que as pessoas o cumprimentavam como se estivesse sofrendo, mas afirmou que nunca teve ilusão com o comportamento dos juízes da Lava-Jato.

– A decisão, até respeito, o que não aceito é a mentira. Eles sabem que não cometi crime. Estou condenado por um desgraçado de um apartamento que não tenho – discursou.

E disse que tudo que estão fazendo é para que ele não possa ser candidato, mas que lhe deu uma "coceirinha" e agora tem vontade de ser candidato, de ser presidente.

Seguiu com o discurso de campanha, procurando motivar a militância. E mandou um aviso à elite brasileira: "Esperem, porque nós vamos voltar". 

Enfim, Lula fez sua manifestação no sentido de passar a ideia de que ele e o PT estão de pé.  Mas sabe-se que não é bem assim. Em nota, o partido diz que irá confirmar a candidatura de Lula na convenção partidária e registrá-la em 15 de agosto, seguindo rigorosamente o que assegura a legislação eleitoral.  

Na verdade, o PT busca alternativas para manter o líder das pesquisas segurando esses votos, até uma definição sobre como o partido vai participar da disputa eleitoral.

Leia também
Vereador de Caxias do Sul é indiciado por suspeita de exploração sexual contra adolescente
"É uma mentira deslavada", diz vereador de Caxias do Sul suspeito de exploração sexual de adolescente

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros