"Podem até boiar, mas foram feitos para afundar", diz vereador sobre o pedido de impeachment do prefeito de Caxias e o vice - Política - Pioneiro

Vers?o mobile

 
 

Mirante 27/12/2017 | 13h33Atualizada em 27/12/2017 | 15h13

"Podem até boiar, mas foram feitos para afundar", diz vereador sobre o pedido de impeachment do prefeito de Caxias e o vice

Arlindo Bandeira, que votou contra a admissibilidade, disse que o processo e o vice estão na mesma linha, como submarino, naufragando

"Podem até boiar, mas foram feitos para afundar", diz vereador sobre o pedido de impeachment do prefeito de Caxias e o vice Diogo Sallaberry/Agencia RBS
Bandeira não economizou nas críticas ao vice Ricardo Fabris Foto: Diogo Sallaberry / Agencia RBS

Com o prazo de defesa do prefeito Daniel Guerra (PRB) contra o processo de impeachment contando desde terça-feira, o vereador Arlindo Bandeira (PP) usou a última sessão deste ano da Comissão Representativa para falar sobre o assunto. Bandeira foi um dos quatro votos contra a admissibilidade da denúncia. O vereador não poupou o vice-prefeito Ricardo Fabris de Abreu (sem partido), citando o fato dele ter admitido que já estava definindo o secretariado logo depois de o processo ter sido acolhido pela Câmara. Para Bandeira, o impeachment do prefeito e o vice estão na mesma linha, como submarino, naufragando.

— Eles podem até boiar, mas foram feitos para afundar. Estão naufragando ao fracasso — definiu o progressista.

Esta foi a manifestação mais enfática, depois do governista Renato Nunes (PR) – esse, além de abordar o tema em plenário, posiciona-se nas redes sociais e trabalhou pelo ato de apoio ao prefeito realizado no dia 17. 

Neri, O Carteiro (SD), que também votou contra, se manifestou um dia após a admissibilidade em plenário, dizendo que entendia não haver embasamento legal para o impeachment.

— Desde a primeira (denúncia), minha posição foi que ele não roubou, não tem desvio de dinheiro público, não tem propina, e continuo com essa linha até então — explicou Bandeira.

Ele acrescentou que, se um dia acontecer isso, irá se posicionar a favor (da cassação).

— Não tenho nenhum amor pelo prefeito Guerra, não tenho nem aquela paixão. A gente está, sim, com diálogo respeitoso para fazer as coisas que a gente precisa aqui na cidade, unidos.

O progressista disse que os vereadores passam por uma saia-justa, diante de posicionamentos contra e a favor do impeachment entre os eleitores, mas afirmou que aprendeu a não votar a cabresto e nem por pressão do Parlamento.

Sobre o vice

Bandeira falou da falta de credibilidade do vice-prefeito, diante da renúncia e da desistência e do vai e volta de partido (em referência ao anúncio de que deixaria o PRB e depois mudou de ideia, da posterior saída da sigla e do ingresso no PSD, de onde também saiu).

— Me admira que o nosso vice já tenha o secretariado preparado. Ele deve estar com problemas mentais. Já tem todo o secretariado pronto, está tudo certinho. Acho que uma pessoa dessas não pode estar certa. Nem está ainda em processo de impeachment do prefeito. 

Leia também:  
Como os partidos se posicionam diante do pedido de impeachment do prefeito de Caxias do Sul
Processo de impeachment provoca recuo do governo Daniel Guerra, em Caxias
Especialistas dão dicas de livros para entender melhor a política 

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros