Bandeira do Brasil causa polêmica envolvendo vereadora de Caxias  - Política - Pioneiro

Mirante07/12/2017 | 11h21Atualizada em 07/12/2017 | 11h21

Bandeira do Brasil causa polêmica envolvendo vereadora de Caxias 

Renato Nunes diz que símbolo nacional foi desconfigurado e cobra postura da petista Ana Corso

Bandeira do Brasil causa polêmica envolvendo vereadora de Caxias  Facebook,vereador Renato Nunes/Reprodução
Inscrição no simbolo nacional e presença de vereadora Ana Corso motivam postagem de Renato Nunes Foto: Facebook,vereador Renato Nunes / Reprodução

O vereador Renato Nunes (PR) provoca uma polêmica extra plenário com a vereadora Ana Corso (PT). Ele postou em seu Facebook uma foto em que a bandeira do Brasil aparece com a inscrição "Respeita as travesti". Foi após reunião na Câmara de Vereadores de Caxias, em novembro, sobre Desafios da Identidade de Gênero nas Escolas. Ana, que conduziu o encontro, está na foto. 

Nunes questiona o fato de a bandeira ter sido desconfigurada, ferindo a lei. Ele cita o Artigo 31 da Lei 5700/71, dos Símbolos Nacionais, onde consta as manifestações consideradas de desrespeito à Bandeira Nacional e destaca: "Mudar-lhe a forma, as cores, as proporções, o dístico ou acrescentar-lhe outras inscrições".

"Quero deixar bem claro, antes que pessoas mal-intencionadas venham tentar distorcer o objetivo desta postagem, que o meu questionamento é exclusivamente a Bandeira Nacional. Não tenho e nunca terei discurso de ódio ou de intolerância a qualquer tipo de movimento, o respeito às pessoas está acima de suas práticas", diz ele na postagem.

Nunes pergunta: 

"O que você acha desse ato, um local (Câmara de Vereadores) onde deveria ser exemplo cívico e de respeito ao Símbolo Nacional e uma vereadora ser condizente, apoiar e posar para foto com a Bandeira Nacional, totalmente desconfigurada e ferindo a Lei, que diz que é proibido acrescentar outras inscrições na mesma?"

A vereadora reagiu indignada com a atitude de Nunes. Ela diz que não vê problema e que as travestis querem com a inscrição na bandeira fazer uma denúncia pelo que sofrem de preconceito e discriminação.

— Não acho que seja crime. A bandeira do Brasil é utilizada para manifestações de toda a ordem e não é de hoje — disse.

Segundo Ana, se estivesse escrito "Fora, Dilma", Nunes iria gostar. Para ela, a atitude do vereador é preconceito, coisa de fundamentalista religioso, de moralista sem moral.

— Quem vê problema nisso é homofóbico. Tem é que discutir se existe homofobia, assassinato de trans e de travestis. Esses que julgam museus e livros têm uma visão conservadora, querem o retrocesso na sociedade.

Ana ressaltou que no encontro sobre identidade de gênero nas escolas foi defendido uma escola inclusiva, sem machismo, sem discriminação.

— A bandeira era delas e posei com muito orgulho — encerrou.


 

Veja também

Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros