"Não há obrigação de ficar ou de ir", diz Dalva Guerra (PRB), pré-candidata à Assembleia Legislativa, sobre troca de partido para o Patriota - Política - Pioneiro

Mirante04/11/2017 | 09h15Atualizada em 06/11/2017 | 14h55

"Não há obrigação de ficar ou de ir", diz Dalva Guerra (PRB), pré-candidata à Assembleia Legislativa, sobre troca de partido para o Patriota

Dalva Guerra disse que ficou lisonjeada pelo convite, mas que preocupação é com as pessoas

"Não há obrigação de ficar ou de ir", diz Dalva Guerra (PRB), pré-candidata à Assembleia Legislativa, sobre troca de partido para o Patriota Reprodução/Acervo pessoal
Foto: Reprodução / Acervo pessoal

A pré-candidata a deputada estadual, irmã do prefeito Daniel Guerra (PRB), Dalva, disse que hoje não há motivos para ela deixar o PRB e ir para o PEN/Patriota, partido pelo qual o deputado federal Jair Bolsonaro (PSC-RJ) deve concorrer à Presidência da República. Mas não fecha a porta:

– Não há nenhuma obrigação de ficar ou ir para qualquer lugar. Penso que mais do que um partido, o importante são as pessoas que nos cercam e ajudam a melhorar nossa cidade, Estado e o país – disse Dalva, via WhatsApp.

A possibilidade de que ela mude de partido veio a partir da declaração do presidente do PEN de Caxias do Sul, João Dreher, de que vai convidá-la para ingressar na sigla, e da afirmação do presidente do PRB, Heron Fagundes, de que tem conhecimento desta proposta.

Especificamente sobre o convite, ela disse que fica lisonjeada, mas que sua única preocupação é fazer o melhor para as pessoas, independentemente de onde esteja. Dalva segue a cartilha dos irmãos, Daniel e Chico (vereador).

– A exemplo dos meus irmãos, a única obrigação que tenho é com Deus e com as pessoas – declara.

 

Veja também

Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros