PT divulga nota oficial contra impeachment do prefeito Daniel Guerra - Política - Pioneiro

Mirante 04/09/2017 | 08h30Atualizada em 04/09/2017 | 08h30

PT divulga nota oficial contra impeachment do prefeito Daniel Guerra

Partido diz que não concorda com diversas atitudes da atual administração, mas não irá compactuar com pedido "farsesco"

PT divulga nota oficial contra impeachment do prefeito Daniel Guerra Roni Rigon/Agencia RBS
Foto: Roni Rigon / Agencia RBS

O PT de Caxias do Sul votará contra a admissibilidade da denúncia de impeachment do prefeito Daniel Guerra (PRB), que está na pauta de terça-feira da Câmara de Vereadores. No caso de ser aceita, o PT também será contra o impeachment. A posição oficial foi tirada na segunda-feira passada, mas foi divulgada neste sábado no Facebook da vereadora e presidente do PT, Ana Corso.

O partido diz que tem cumprido fielmente o papel de oposição programática na cidade, tendo feito isso por 12 anos consecutivos na administração passada e agora, na atual administração. O PT tem dois vereadores, Ana (que ocupa a vaga de Denise Pessôa, licenciada) e Rodrigo Beltrão.

Leia Mais: 
UAB tenta sustar decreto que limita gratuidade de passagens para presidentes de bairros, em Caxias
Vereador Beltrão e ex-prefeito de Caxias do Sul fazem acordo e dão fim a processo judicial  

"Temos divergências políticas tanto com a velha administração, quanto com a atual e, por isso, seguimos desempenhando o papel que a população caxiense nos reservou – o de fiscalizar e fazer oposição. Este fazer oposição não se confunde com apoiar atalhos antidemocráticos e até golpistas, que pretendem surrupiar a vontade soberana dos caxienses expressa no voto popular. Não concordamos com diversas atitudes da atual administração, em especial no que tange ao relacionamento da mesma com os movimentos sociais, estudantis e sindicais, mas não iremos compactuar com um pedido farsesco de impeachment", diz a nota.

Este é o segundo partido de oposição a se posicionar contra. Primeiro foi o PP, quando o presidente Ovídio Deitos anunciou, ainda na data em que a denúncia foi protocolada na Câmara (25 de agosto), que ele e o vereador Arlindo Bandeira pediriam a expulsão do autor, o integrante da Juventude Progressista, João Manganelli Neto. A medida se confirmou no dia seguinte, em reunião da executiva municipal, com encaminhamento à Comissão de Ética e Fidelidade Partidária. 

Em dezembro de 2015, Guerra foi autor de uma moção na Câmara de Vereadores, aprovada por maioria, em apoio ao impeachment da petista Dilma Rousseff.

 

Veja também

Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros