Policiamento comunitário volta a ser discutido nesta terça-feira em Caxias do Sul - Política - Pioneiro

Mirante19/09/2017 | 08h37Atualizada em 19/09/2017 | 08h38

Policiamento comunitário volta a ser discutido nesta terça-feira em Caxias do Sul

Convênio do município e Estado para auxílio-moradia aos policiais será tratado com secretário Mallmann. Comissão para o Enfrentamento da Violência leva alternativas de outros municípios

Policiamento comunitário volta a ser discutido nesta terça-feira em Caxias do Sul Porthus Junior/Agencia RBS
Paula Ioris  lidera comissão que tenta reverter fim de convênio Foto: Porthus Junior / Agencia RBS

O policiamento comunitário volta a ser tratado hoje entre os vereadores da Comissão Temporária Especial para o Enfrentamento da Violência, presidida por Paula Ioris (PSDB), e o secretário municipal de Segurança Pública, José Francisco Mallmann. Eles mantêm audiência às 17h, na secretaria. A comissão busca manter o convênio com o Estado para o auxílio-moradia, para que os policias permaneçam morando nos bairros onde fazem o policiamento comunitário.

— Queremos policiais motivados, e a ideia é ampliar o número de bairros atendidos (hoje são 24) – diz Paula, ressaltando que foi promessa de campanha do prefeito Daniel Guerra (PRB).

Um convênio terminou sábado e outros dois se encerram em dezembro e janeiro. 

Paula disse que será entregue ofício apresentando ao secretário Mallmann meios legais, com exemplos de outros municípios, como Farroupilha e Marau, para adequar-se à Lei Federal 13.019, de 2014, que instituiu novas normas para as parcerias entre a administração pública e as organizações da sociedade civil. 

Pela nova lei, a parceria entre o município e o Estado pode continuar, mas em outro formato e sem intermediários. A prefeitura ainda aguarda uma posição da Secretaria de Segurança Pública do Estado sobre os novos procedimentos. 

Leia também:  
Convênio de policiamento comunitário será encerrado em Caxias
Encontro com governo do Estado frustra prefeitura de Caxias

— O meio de transferência dos recursos é o Consepro (Conselho Comunitário Pró-Segurança Pública), como foi dito que não pode, então, vamos oferecer as alternativas obtidas por outros municípios — diz a vereadora.

Ela insiste:

— Precisamos nos unir, integrar forças, o policiamento comunitário é muito importante para a cidade e precisamos fortalecê-lo. Quem tem que manifestar se tem interesse em manter o convênio é o município.

Além de Paula, integram a comissão os vereadores Adiló Didomenico (PTB), Alberto Meneguzzi (PSB), Gustavo Toigo (PDT), Neri, O Carteiro (SD) e Paulo Périco (PMDB).

 

Veja também

Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros