Dia é de decisão com tendência favorável ao prefeito Daniel Guerra - Política - Pioneiro

Mirante05/09/2017 | 08h26Atualizada em 05/09/2017 | 08h26

Dia é de decisão com tendência favorável ao prefeito Daniel Guerra

Nos bastidores, aposta é de que pedido de impeachment será rejeitado por unanimidade

Dia é de decisão com tendência favorável ao prefeito Daniel Guerra Diogo Sallaberry/Agencia RBS
Foto: Diogo Sallaberry / Agencia RBS

É esperada a rejeição da admissibilidade do pedido de impeachment do prefeito Daniel Guerra (PRB), na sessão de hoje da Câmara de Vereadores, depois de uma semana para uma parte da oposição trabalhar no sentido de desgastar a imagem do prefeito e sentir se valia a pena ir para o tudo ou nada. A articulação não deve ter surtido o efeito que os adversários mais ferrenhos queriam. Nos bastidores, a aposta é de que o pedido protocolado pelo bacharel em Direito João Manganelli Neto deve ser rejeitado por unanimidade.

A impressão diante da chegada desse pedido de cassação, aos oito meses de governo, é de que foi como querer dar um aviso. Dizer que ninguém sabia, nem imaginava, desconhecia o teor... é difícil de convencer. Há de se considerar alguns aspectos quanto ao momento em que surgiu o tema tão delicado: o protocolo foi efetuado justamente no dia da entrega do Residencial Rota Nova e diante da proximidade da abertura da UPA Zona Norte. Quem vai acreditar que não há uso político? Mas o que se percebe é que o blocão de oposição não anda totalmente afinado.

Dar início a um processo de investigação por 90 dias, naturalmente, emperra a cidade. Mesmo havendo rejeição a medidas do prefeito e proliferando críticas ao tratamento dispensado a alguns segmentos da sociedade, centrar as atenções em depoimentos e troca de acusações claro que vai gerar um clima mais pesado do que já está, inserindo a população numa onda de insegurança.

A sociedade rejeita esse tipo de postura. Os vereadores e demais líderes partidários sabem bem disso — aliás, quer exemplo melhor com o anúncio de que o PDT do ex-prefeito Alceu Barbosa Velho, o principal antagonista de Guerra, vai votar contra?

Dos adversários mais ferrenhos, por exemplo, Rafael Bueno (PDT), Adiló Didomenico (PTB), Flavio Cassina (PTB), Rodrigo Beltrão (PT) e Renato Oliveira (PCdoB) já abriram o voto contra a admissibilidade. O placar prévio contabiliza derrota do pedido. Espera-se que todos compareçam e votem, cumprindo seu papel.

É claro que a oposição não vai se dar por vencida, por isso, vai ingressar com um pedido de informações (mais um), para que a administração responda a cada item que consta no pedido de impeachment. A decisão desta terça-feira será a mais significativa até o momento nesta constante disputa política.

 

Veja também

Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros