Câmara não deve acolher pedido de impeachment do prefeito de Caxias  - Política - Pioneiro

Impedimento04/09/2017 | 21h05Atualizada em 04/09/2017 | 21h07

Câmara não deve acolher pedido de impeachment do prefeito de Caxias 

Levantamento do Pioneiro mostra que denúncia contra Guerra será rejeitada 

Câmara não deve acolher pedido de impeachment do prefeito de Caxias  Roni Rigon/Agencia RBS
Foto: Roni Rigon / Agencia RBS

O pedido de impeachment do prefeito Daniel Guerra (PRB) não será acolhido pela Câmara de Vereadores. A menos que os vereadores mudem de ideia nesta terça-feira, antes da sessão. Consultados pelo Pioneiro, 14 parlamentares declararam que irão votar contra, número suficiente para barrar o impeachment, e outros sete preferiram não adiantar seus votos. Para ser aprovado ou rejeitado, é necessário o voto da maioria dos presentes.

Leia mais
PTB votará contra acolhimento de pedido de impeachment do prefeito de Caxias 
PT divulga nota oficial contra impeachment do prefeito Daniel Guerra
"O programa mais definido de esquerda e direita hoje é escapar da cadeia", acredita Marcos Rolim
Em viagem à China, deputado Mauro Pereira posa ao lado do presidente da Rússia

A bancada do PDT irá aproveitar o pedido formulado pelo bacharel em Direito João Manganelli Neto e protocolar, em regime de urgência, pedido de informações sobre os 57 itens que constam na denúncia por infrações político-administrativas e crime de responsabilidade contra Guerra. O requerimento deve entrar em votação somente na terça-feira da semana que vem. 

— Vamos votar contra, e a bancada estará protocolando pedido de informações para que ele (prefeito) responda item por item das questões. As denúncias são graves e têm de ser apuradas — diz Rafael Bueno, líder do PDT na Câmara.

O pedido de impeachment foi colocado em votação na semana passada, mas o vereador Adiló Didomenico (PTB) pediu adiamento por cinco dias. Nesta terça, ele será analisado novamente. O rito não prevê discussão. Os vereadores podem se manifestar somente para justificar o voto.

Se o pedido de impeachment for acolhido, três vereadores são escolhidos, por meio de sorteio, para formar a Comissão Processante, que irá analisar o processo. Qualquer parlamentar pode integrar o grupo, exceto o presidente da Casa.

O prazo para conclusão dos trabalhos, incluindo a votação do impeachment, é de 90 dias. Mas se a denúncia contra Guerra não for aceita, ela é arquivada.O pedido de impeachment foi protocolado no dia 25 de agosto. Manganelli não quis revelar quem o ajudou a redigir a denúncia, porque os outros dois advogados que o auxiliaram preferiram anonimato. 

Manganelli é filiado ao PP e participou do movimento de refundação da nova Arena, em 2012.

Como votarão

Contra
:: Adiló Didomenico (PTB)
:: Alceu Thomé (PTB)
:: Flavio Cassina (PTB)
:: Neri, o Carteiro (SD)
:: Ana Corso (PT)
:: Rodrigo Beltrão (PT)
:: Chico Guerra (PRB)
:: Renato Nunes (PR)
:: Arlindo Bandeira (PP)
:: Rafael Bueno (PDT)
:: Ricardo Daneluz (PDT)
:: Velocino Uez (PDT)
:: Gustavo Toigo (PDT)
:: Renato Oliveira (PCdoB)

Sem posição
:: Edi Carlos (PSB): tendência, no entanto, é votar contra

Não quis antecipar
:: Alberto Meneguzzi (PSB)
:: Elói Frizzo (PSB)
:: Paula Ioris (PSDB)
:: Kiko Girardi (PSD)
:: Paulo Périco (PMDB)
:: Edson da Rosa (PMDB)
:: Gládis Frizzo (PMDB): na semana passada, a vereadora havia dito que votaria contra 

* O presidente da Câmara, Felipe Gremelmaier (PMDB), vota em caso de empate. 


 

Veja também

Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros