Pedido de impeachment está em compasso de desgaste político do prefeito Daniel Guerra - Política - Pioneiro

Mirante30/08/2017 | 08h30Atualizada em 30/08/2017 | 08h30

Pedido de impeachment está em compasso de desgaste político do prefeito Daniel Guerra

Esta é a intenção de boa parcela da oposição. Votação sobre a admissibilidade pode ter outro adiamento na terça-feira

Pedido de impeachment está em compasso de desgaste político do prefeito Daniel Guerra Roni Rigon/Agencia RBS
Foto: Roni Rigon / Agencia RBS

Adiada por uma semana pela Câmara de Vereadores, a admissibilidade da denúncia de impeachment do prefeito Daniel Guerra (PRB) volta a centralizar as atenções na terça-feira. Mas há a possibilidade de a definição ser novamente transferida, conforme circula nos bastidores. Assim, o assunto seguiria rendendo durante todo o feriadão de 7 de Setembro e, lógico, desgastando o prefeito, como querem os oposicionistas.

O líder do governo Chico Guerra (PRB), após manifestações na sessão de ontem, avaliou que a aprovação da admissibilidade deve acontecer. Mas não há essa certeza, pois existe um grupo mais cauteloso. Até porque, a denúncia sendo acolhida e o impeachment não, o prefeito sai fortalecido.

Caso confirme-se a admissibilidade, serão 90 dias de fritura política do prefeito até a decisão sobre o impeachment. E quem sofre os efeitos é a cidade. Caxias, que já está devagar, ficará envolta em discussões e depoimentos que vão ampliar a tensão política. O clima nas redes sociais, que já é pesado, e nas rodas de conversas vai refletir a hostilidade que se viu ontem na Câmara no confronto entre apoiadores e contrários ao governo.

Leia Mais: 
Vereadores de Caxias decidem adiar votação de acolhimento do impeachment de Daniel Guerra
Confira os principais pontos da denúncia contra o prefeito de Caxias do Sul


O assunto precisa ser tratado com muita seriedade, deixando de lado a passionalidade — embora, sabe-se que os interesses político-eleitorais estão sempre no topo.

A dúvida que paira no ar é qual a estratégia do governo Guerra. Ao saber do protocolo do pedido pelo bacharel em Direito João Manganelli Neto, na sexta-feira, o prefeito reagiu na sua forma costumeira, declarando que um pequeno grupo não assimilou o desejo e a escolha da maioria em 31 de outubro, que disse: "Chega da política velha, chega às negociatas, chega à ilegalidade em Caxias do Sul."

Esse discurso pode soar bem, rende votos, mas nos ouvidos dos vereadores de oposição é estridente. O governo precisa ter mais traquejo para lidar com essa situação. A reação popular vai pesar muito, porém, é arriscado apostar que a popularidade continue a mesma da eleição.

 

Veja também

Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros