Governo Guerra pede retorno de servidores da prefeitura que estão na Câmara de Vereadores - Política - Pioneiro

Mirante03/07/2017 | 18h19Atualizada em 03/07/2017 | 18h29

Governo Guerra pede retorno de servidores da prefeitura que estão na Câmara de Vereadores

Com isso, o Legislativo solicitará volta de suas funcionárias que estão no Executivo, entre elas a secretária de Governo, Vania Espeiorin

Governo Guerra pede retorno de servidores da prefeitura que estão na Câmara de Vereadores Petter Campagna Kunrath/Divulgação
Daniel Guerra e Felipe Gremelmaier: novo estremecimento entre os poderes, diante da iniciativa do prefeito Foto: Petter Campagna Kunrath / Divulgação

Uma decisão do governo Daniel Guerra (PRB) tensiona ainda mais as relações com a Câmara de Vereadores. Por ofício, foi solicitado que dois servidores licenciados da prefeitura para atuar no Legislativo retornem, a partir desta segunda-feira, para a administração direta. Os ofícios foram protocolados no dia 26 de junho.

Os funcionários são: Grégora Fortuna dos Passos, assessora jurídica da Comissão de Constituição, Justiça e Legislação, cargo do PTB, e Claudio Teixeira, assessor político do vereador Rodrigo Beltrão (PT). Eles atuam na Câmara sem ônus para o Executivo.

A medida adotada pela administração faz com que o presidente da Câmara de Vereadores, Felipe Gremelmaier (PMDB), também solicite que as duas funcionárias concursadas do Legislativo cedidas à prefeitura voltem às atividades de origem. 

Leia Mais: 
Presidente do PT, Ana Corso, assume na Câmara em Caxias e nega proximidade com Guerra
Gestão de conflitos marca os seis meses do governo de Daniel Guerra, em Caxias

Confirmando-se, a secretária municipal de Governo e coordenadora de Comunicação, jornalista Vania Espeiorin, deverá deixar o Executivo, bem como a relações públicas Cristiane Postingher da Fonseca. Gremelmaier já teria informado o prefeito ainda na semana passada, quando os ofícios ingressaram na Câmara.

Grégora foi diretora do Legislativo em 2015, quando o vereador Flavio Cassina (PTB) presidiu a Casa. Claudio anuncia que irá se exonerar do Executivo, uma vez que pretende continuar trabalhando com Beltrão, com quem atua há 18 anos. Ele está lotado na Secretaria Municipal da Saúde, onde ingressou mediante concurso em maio de 2015. 

— Por uma visão de vida, prefiro me exonerar — diz o assessor político.

Portanto, no caso de Claudio, a solicitação da prefeitura se esvazia. Serve apenas para acirrar os ânimos.

Os ofícios do Executivo, que solicitam o retorno dos servidores, alegam a carência de profissionais (Grégora é concursada como agente administrativo; Claudio, como auxiliar de regulação). Até fevereiro, quando foi chamada para a vaga de fonoaudióloga, a primeira-dama Andrea Marchetto Guerra exercia a função de auxiliar de regulação.

A secretária Vania Espeiorin explica que foram chamados todos os funcionários cedidos, inclusive para o Estado, Assembleia Legislativa e Cartório Eleitoral, devido às demandas na administração municipal. De acordo com a secretária, os do Cartório permanecem porque o município tem obrigação de ceder à Justiça.

Sobre sua situação, especificamente, Vania diz que oficialmente não foi feita a solicitação para seu retorno. Diante da possibilidade de Gremelmaier encaminhar o ofício, o prefeito, conforme a secretária de Governo, disse que receberá com respeito institucional. A informação é de que, assim como o Executivo, a Câmara também tem falta de servidores.

Não foi obtido contato com Grégora, que está lotada na Secretaria Municipal de Educação. 



 

Veja também

Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros