Michel Temer se defende. Com deputado Mauro Pereira ao lado - Política - Pioneiro

Mirante28/06/2017 | 09h02Atualizada em 28/06/2017 | 09h02

Michel Temer se defende. Com deputado Mauro Pereira ao lado

Peemedebista disse que acredita quando olha nos olhos do presidente e ouve ele dizer que não tem culpa

Michel Temer se defende. Com deputado Mauro Pereira ao lado Alan Santos/Divulgação
Mauro Pereira (no canto direito) fez parte do grupo de apoiadores que esteve com presidente durante pronunciamento  Foto: Alan Santos / Divulgação

Ao classificar a denúncia de corrupção passiva de ficção e de centrar fogo contra o procurador-geral Rodrigo Janot, Michel Temer (PMDB), em seu pronunciamento, ontem, disse que ser presidente é uma coisa extraordinária, uma coisa tocante. E veio com essa: "Não sei como Deus me colocou aqui".

O presidente parece ter esquecido de como foi parar no posto máximo do país. Soou como piada.

Leia Mais: 
"Estratégia jurídica" é argumento usado para justificar sigilo sobre viagem do prefeito Guerra


Temer chamou de bandido, outra vez, Joesley Batista, responsável por tê-lo gravado naquele encontro no Palácio Jaburu, à noite, fora da agenda oficial. Argumentou que "reinventaram o Código Penal e incluíram uma nova categoria: a denúncia por ilação. Se alguém que conheço cometeu um crime, ou se tiro uma foto ao lado de alguém, a nova ilação é que sou criminoso".

Mesmo assim, Temer está longe de convencer. Sua impopularidade contribui.

E por falar em foto ao lado, quem estava lá era o deputado federal Mauro Pereira (PMDB). Fiel defensor do governo Temer — segundo ele, tudo pela economia do país e geração de empregos —, Mauro deu uma declaração à Rádio Gaúcha que vai ficar marcada:

— Quando você escuta o presidente Temer, ele mostrando a indignação dele, você dá razão para ele. O presidente é uma pessoa aberta, uma pessoa simples, que respeita os deputados e isso faz a diferença. Uma coisa é ouvir de vocês (jornalistas) que ele é isso, outra coisa é você conversar com ele, olhar no olho dele e ele falar: "Eu não tenho culpa, eu não fiz isso, eu não mereço isso".

Se o PMDB sair do governo, Mauro perde a vitrine política. Ao mesmo tempo, boa parcela do eleitorado caxiense repudia essa relação palaciana. 

 

Veja também

Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros