Vereadores de Caxias do Sul querem informações sobre ato em apoio ao prefeito Daniel Guerra - Política - Pioneiro

Pedido05/04/2017 | 22h00Atualizada em 06/04/2017 | 09h17

Vereadores de Caxias do Sul querem informações sobre ato em apoio ao prefeito Daniel Guerra

Requerimento que solicita dados sobre estrutura pública utilizada em manifestação será votado nesta quinta-feira

Vereadores de Caxias do Sul querem informações sobre ato em apoio ao prefeito Daniel Guerra Roni Rigon/Agencia RBS
Ato reuniu cerca de 500 pessoas na Praça Dante Alighieri e 300 no Centro Administrativo  Foto: Roni Rigon / Agencia RBS

A Câmara vota nesta quinta-feira um pedido de informações ao Executivo sobre o ato em apoio ao prefeito de Caxias do Sul, Daniel Guerra (PRB), no domingo. A bancada do PTB, autora do requerimento, questiona qual estrutura pública foi utilizada durante a manifestação. Se o pedido for aprovado, a prefeitura terá 30 dias para responder. 

Leia mais
Vice-prefeito retorna à prefeitura de Caxias do Sul nesta quinta-feira
Maioria dos vereadores defende manutenção de 23 vagas na Câmara de Caxias
Ato em apoio a prefeito de Caxias do Sul reúne centenas de pessoas

Cerca de 500 pessoas participaram do ato de domingo. A manifestação iniciou-se na Praça Dante Alighieri e terminou na prefeitura. Do número total, aproximadamente 300 foram ao Centro Administrativo para conhecer o gabinete de Guerra. 

Os vereadores querem saber, por exemplo, quantos servidores públicos estiveram envolvidos no ato e em quais horários. Eles solicitam, também, o valor gasto e quem arcará com horas extras, veículos e equipamentos utilizados, se houve bloqueio total ou parcial de trânsito e a justificativa de interesse público.

Conforme a assessoria de imprensa da prefeitura, três profissionais da equipe de comunicação acompanharam a agenda do prefeito no domingo, que incluiu, além da manifestação, ida ao Parque dos Macaquinhos para a atividade alusiva ao Dia Mundial da Conscientização sobre o Autismo. 

Confira as votações na Câmara acessando o Olhômetro:

Olhômetro - De olho nos vereadores

Ainda de acordo com a assessoria, não houve nenhuma alteração no efetivo da Guarda Municipal no domingo. Três guardas trabalhavam na Praça Dante Alighieri, como de praxe, e outros dois estavam no Centro Administrativo, como é normal, para zelar pelo patrimônio. 

Quanto à atuação da Fiscalização de Trânsito, a secretaria seguiu o protocolo normal de dias de evento com previsão de bloqueio de ruas. A assessoria informou que foi disponilizado o efetivo necessário, mas não soube dizer quantas pessoas trabalharam no dia. O secretário de Trânsito, Transporte e Mobilidade, Cristiano de Abreu Soares, não atendeu às ligações.

AS PERGUNTAS DOS VEREADORES DO PTB
1)
Quem convocou a Secretaria de Trânsito e a Guarda Municipal para dar apoio ao ato ocorrido na referida data?
2) Qual o número do ofício e cópia?
3) Quantos servidores públicos foram empregados no referido evento e horários em que estiveram envolvidos?
4) Qual o valor gasto a título de horas extras disponibilizadas e quem vai arcar com os custos?
5) Quantos veículos e equipamentos foram empregados?
6) Quais as ruas que tiveram bloqueios total ou parcial?
7) Qual a justificativa para interesse público?

* O pedido de informações será enviado ao Executivo somente se for aprovado pela Câmara. 

Possíveis atos de improbidade

Os vereadores Rafael Bueno (PDT), Adiló Didomenico (PTB) e Paulo Périco (PMDB) entregaram nesta quarta-feira ao Ministério Público representação para que investigue possíveis atos de improbidade administrativa cometidas pelo prefeito Daniel Guerra. São três os motivos apresentados pelo parlamentares.

Primeiro, eles questionam o fato de o secretário municipal da Receita, José Alfredo Duarte Filho, se ausentar uma semana por mês para cumprir agenda em Brasília no Conselho Administrativo de Recursos Fiscais (Carf), representando a Confederação Nacional da Agricultura (CNA).

Os vereadores também solicitam averiguações no caso do ex-secretário de Saúde, Darcy Ribeiro Pinto Filho, que possuía atividades paralelas às de secretário em entidades públicas e privadas, e no do coordenador da 25ª Região Tradicionalista, Rodrigo Ramos. A suspeita, neste último caso, é de conflito de interesses, já que Ramos ocupa um cargo em comissão no Departamento de Arte e Cultura Popular, na Secretaria de Cultura. Além disso, ele teria participado de um evento, em março, no município de Rolante representando a prefeitura e também a 25ª Região.

 
 

Siga o Pioneiro no Twitter

  • pioneiroonline

    pioneiroonline

    Pioneiro.comCom a classificação do Novo Hamburgo à final, Caxias é o campeão do Interior https://t.co/KNaZjyVIkr #pioneirohá 3 horas Retweet
  • pioneiroonline

    pioneiroonline

    Pioneiro.comCaxias do Sul gera 149 vagas de trabalho em março https://t.co/75miEkWFRi #pioneirohá 5 horas Retweet

Veja também

Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros