Semana começa sob tensão em Caxias com greves de médicos e no transporte  - Política - Pioneiro

Mirante18/03/2017 | 08h30Atualizada em 18/03/2017 | 08h30

Semana começa sob tensão em Caxias com greves de médicos e no transporte 

Prefeitura tem o dever de buscar todas as formas de evitar prejuízos à população

Semana começa sob tensão em Caxias com greves de médicos e no transporte  Felipe Nyland/Agencia RBS
Impasse entre prefeitura e Visate se reflete no dissídio dos funcionários da empresa concessionária do transporte Foto: Felipe Nyland / Agencia RBS

A paralisação de serviços públicos essenciais, envolvendo médicos do SUS e trabalhadores da Visate, anunciada para segunda-feira, cria um clima de tensão diante dos inevitáveis prejuízos à sociedade em Caxias do Sul, caso concretizem-se as greves. A prefeitura tem o dever de buscar todas as formas de evitar danos à população.

Não se discute o mérito das decisões quanto à cobrança do ponto dos médicos e da manutenção da tarifa de ônibus em R$ 3,40. O que está em questão é o atendimento à população ao que lhe é de direito, como o transporte público e a saúde. Em relação aos médicos, o prefeito Daniel Guerra (PRB) fala em chamar mais 70 profissionais para suprir possíveis exonerações resultantes de adesões ao movimento, também está prevista a contratação de médicos temporários dentro de 15 dias. 

Leia Mais: 
Prefeito Daniel Guerra diz que, ao comunicar renúncia, vice alegou que não gosta da vida pública
Vice-prefeito de Caxias diz que não teria problema em reconsiderar a renúncia
Daniel Guerra diz que município está pronto para convocar mais 70 médicos

Quanto ao transporte coletivo, atribui à empresa concessionária a responsabilidade, uma vez que a mobilização é reflexo do dissídio de seus funcionários. Há dúvidas se as medidas adotadas pela Visate darão conta de atender aos usuários.

A situação é bem complicada. Diálogo sempre é bom, mesmo que os posicionamentos sejam totalmente opostos. Na torcida para que os reflexos sejam os menores possíveis e que ocorra um entendimento rápido.

Abaixo, constam declarações do prefeito em relação ao impasse entre a empresa e a prefeitura e que se refletem na tarifa. 

Daniel Guerra x Visate

:: Mudar o valor da tarifa — "Seria uma afronta, seria uma ilegalidade, porque a tarifa tem todo um rito legal que passa pelo Conselho Municipal de Trânsito e Mobilidade, que é a representação da sociedade".

:: Possível caos sem o transporte — "Vamos responsabilizar com o máximo rigor da lei quem causar este caos na cidade. É a empresa Visate, com toda certeza. Ela, está claro no contrato, tem que fazer a garantia da continuidade, da regularidade, e que é ela que vai ter que garantir que haja o transporte coletivo na cidade, vai ter que dar a solução numa eventual greve que ela causou por ser irresponsável por não assumir o dissídio dos trabalhadores. O dissídio é algo legítimo da classe trabalhadora e deve ser tratado com respeito. Esse dissídio é obrigação única e exclusivamente da Visate. Nós seremos enérgicos, porque isso causa transtorno irremediável. Quem tem que pagar este dano é a Visate".

:: Isenção do ISS — "Esse grande equívoco ocorrido na administração passada em que deram isenção de impostos para a Visate, sem baixar a tarifa, foi um desrespeito com o contribuinte na cidade. No Brasil afora, onde ocorreram isenções de impostos a tarifa baixou. Em Caxias do Sul não baixou, apenas subiu o lucro da Visate. Isso não faremos em momento algum, não se permitirá que haja qualquer tipo de isenção na forma ou na modalidade como foi feita na administração passada".

:: As gratuidades — "O direito adquirido em nossa administração vai ser preservado e garantido, nós não admitiremos retrocesso". 


 

Veja também

Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros