Adesão às greves está indefinida, mas prejuízos são inevitáveis à população de Caxias - Política - Pioneiro

Mirante20/03/2017 | 07h58Atualizada em 20/03/2017 | 07h58

Adesão às greves está indefinida, mas prejuízos são inevitáveis à população de Caxias

Paralisações de médicos e de funcionários do transporte coletivo provocam instabilidade na cidade

Adesão às greves está indefinida, mas prejuízos são inevitáveis à população de Caxias Felipe Nyland/Agencia RBS
Impasse entre funcionários e Visate se reflete na prestação do serviço  Foto: Felipe Nyland / Agencia RBS

A adesão aos dois movimentos grevistas, em Caxias do Sul, envolvendo médicos das UBSs e funcionários do transporte coletivo urbano, é uma incógnita. Mas, independentemente do tamanho, se confirmados, haverá prejuízo para os usuários. Os profissionais da saúde envolvidos e o Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários devem ter em mente as consequências que poderão causar à sociedade.

É justa a reivindicação dos trabalhadores da Visate em busca de uma definição do dissídio, o que não é aceitável é deixar que a greve ganhe proporções que inviabilize o andamento da cidade. A empresa concessionária deve resolver a pendência salarial diretamente com os representantes dos funcionários, e não usá-la como pressão pelo reajuste, prejudicando a população. 

Leia Mais
"Pago a multa do meu bolso, mas a greve está mantida", avisa presidente do Sindicato dos Rodoviários de Caxias
Com ônibus em greve, paradas ficam vazias na manhã desta segunda-feira, em Caxias
Tamanho da adesão de médicos à greve ainda é incerta em Caxias
Fiscais vão monitorar cumprimento de liminar que obriga 70% dos ônibus nos horários de pico em Caxias

Semana começa sob tensão em Caxias com greves de médicos e no transporte
Prefeito Daniel Guerra diz que, ao comunicar renúncia, vice alegou que não gosta da vida pública
Vice-prefeito de Caxias diz que não teria problema em reconsiderar a renúncia

A prefeitura busca evitar o caos com a liminar obtida na Justiça do Trabalho, que garante a circulação de 70% dos ônibus nos horários de pico (das 5h30min às 8h30min e das 17h às 20h), e com a Guarda Municipal tentando evitar o bloqueio dos ônibus. Isso pode diminuir o problema momentaneamente, mas o que precisa mesmo é de um desfecho para o entrave.

Governo e empresa, mesmo sem afinidade, precisam dialogar, do contrário, a relação ficará insustentável nos quatro anos da atual administração.

Quanto aos médicos, o ponto é uma exigência. A queda de braço entre sindicato e prefeitura é rejeitada por expressiva parcela da sociedade. Os médicos que aderirem sabem que terão os salários descontados e devem ser exonerados. 

 
 

Siga o Pioneiro no Twitter

  • pioneiroonline

    pioneiroonline

    Pioneiro.comTenente da BM é baleado na cabeça ao ter carro roubado em Caxias https://t.co/lJecUaFvqC #pioneirohá 24 minutosRetweet
  • pioneiroonline

    pioneiroonline

    Pioneiro.comAves e peixes que vivem na Lagoa do Rizzo, em Caxias, estão sumindo https://t.co/jy9JgNGiUy #pioneirohá 8 horas Retweet

Veja também

Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros